Principal, TRANSPARÊNCIA

Discrição, diálogo e diplomacia: quem é o futuro secretário de Segurança do RN

A chegada do coronel Francisco Canindé Araújo para comandar a Segurança Pública do Rio Grande do Norte é uma aposta caseira da governadora eleita Fátima Bezerra e uma sinalização concreta na tentativa de pacificar as polícias, desafio que o atual governador Robinson Faria não conseguiu vencer durante os quatro anos de mandato.

Ex-comandante da Polícia Militar dos governos Wilma, Iberê e Rosalba, o coronel Araújo é um nome que agrada tanto a PM como a Polícia Civil e chega com muito mais força, experiência e prestígio na futura gestão de Fátima.

Entre as características apontadas por diversas pessoas contatadas pela agência Saiba Mais, a discrição, a diplomacia e o diálogo foram as mais ouvidas. Não à toa, entidades representativas do segmento das polícias já manifestaram a apoio à indicação dele.

Araújo tem cursos nas área de Inteligência e Direitos Humanos no Brasil e no exterior,  como Espanha, Chile e Israel. Também já participou de missões de paz, em Moçambique, e presidiu, entre 2010 e 2014, o Conselho Nacional de Comandantes Gerais das Polícias Militares e Corpos de Bombeiros Militares do Brasil, representando os nove estados da região Nordeste.

Francisco Araújo também costuma chamar a responsabilidade pra si em tempos de crise. Operadores da polícia também apontam como característica do futuro chefe da Segurança Pública no RN o trabalho com o serviço de inteligência. Aliás, um desafio já posto e urgente é fortalecer e unificar as inteligências da polícia militar e civil, que hoje trabalham separadas e sem comunicação.

O trabalho com inteligência na área de Segurança foi um dos pontos mais destacados por Fátima Bezerra ainda durante a campanha eleitoral.

O futuro secretário também é reconhecido por profissionais da área de Segurança por não ser adepto da repressão e violência. Porém, um dos momentos de maior tensão de Francisco Araújo como comandante da PM ocorreu em 2012 e 2013, durante a “Revolta do Busão”, movimento de estudantes de Natal (RN) que inicialmente reivindicava a redução no preço das tarifas de ônibus e acabou sendo o estopim para manifestações em todo o país que ficaram conhecidas como Jornadas de Junho de 2013.

Na época, a PM e os estudantes entraram em confronto, ônibus foram incendiados e pessoas foram presas.

Além de técnica, a indicação do coronel Francisco Araújo apresenta também um componente político e demonstra o prestígio do atual presidente da Assembleia Legislativa Ezequiel Ferreira de Souza (PSDB), apoio importante conquistado por Fátima no 2º turno da campanha eleitoral.

Francisco Araújo ocupa atualmente o gabinete de Segurança da ALRN e a chegada dele à secretaria de Segurança Pública contou com a articulação de Ezequiel Ferreira, favorito para seguir na presidência da Casa por pelo menos mais um mandato.

Artigo anteriorPróximo artigo
Rafael Duarte
Jornalista e autor da biografia "O homem da Feiticeira: A história de Carlos Alexandre"

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *