DEMOCRACIA

Do empreendedorismo à criação de moeda social, conheça as principais propostas dos candidatos para economia e renda em Natal

Candidatos Natal

Incentivo ao empreendedorismo, liberação de microcrédito e fortalecimento do turismo são os pontos mais recorrentemente abordados pelos 13 candidatos à prefeitura de Natal. No entanto, algumas medidas se destacam pela especificidade do público aos quais se direcionam ou pela natureza da aplicação.

O candidato Afrânio Miranda, do Podemos, centraliza as propostas de renda dos microempreendedores individuais. Assim, busca criar o programa Empreendedor Natalense, uma parceria entre município e Sebrae para oferecer assistência técnica e crédito aos MEIs.

Buscando a reeleição, o tucano Álvaro Dias (PSDB) pretende criar um centro público de emprego e renda na Região Administrativa Norte da Cidade, prestando assistência para seguro desemprego, requalificação profissional e intermediando o acesso a vagas de emprego no mercado formal. A meta, de acordo com o documento, é atender 10 mil pessoas por ano nesse centro. Além disso, o programa também propõe facilitar o acesso ao microcrédito para empreendimentos de economia solidária.

O programa do PSC, com chapa encabeçada pelo candidato Coronel Azevedo, foca no fortalecimento da economia por meio do setor de turismo. Assim, prevê, dentre outras ações, a criação de um “Plano de Desenvolvimento do Turismo Sustentável, capacitação profissional no setor, incluindo oferta de cursos de idiomas, além do incentivo ao turismo esportivo e de negócios.

Leia Também: Coronel Azevedo condenado por propaganda antecipada

O candidato Carlos Alberto, do PV, pretende assegurar um desenvolvimento econômico sustentável também do ponto de vista ambiental. Dessa forma, quer promover o turismo comunitário, fortalecer setores como a pesca, agricultura familiar e negócios sociais e apostar numa infraestrutura que favoreça os comerciantes.

Uma diversidade de propostas em diversos setores permeia o plano de gestão do Coronel Hélio Oliveira (PRTB). Dentre elas, destacam-se com maior detalhamento o fomento ao primeiro emprego, incentivo a abertura de empresas e criação de uma estrutura administrativa voltada a atração de investimentos para o município.

Pelo PSL, o Delegado Leocádio quer um governo baseado nos ideiais liberais e com a menor intervenção estatal possível. Assim, visa a criação do que classifica como “ambiente favorável ao empreendedorismo”, implementando ainda um “Observatório de Empreendedorismo”.

Em parceria com o Instituto Metrópole Digital da UFRN Explorar, Fernando Freitas, do PCdoB pretende desenvolver a área de Tecnologia da Informação (TI) e transformar a Capital em um dos polos tecnológicos do País. Também em incentivo ao turismo, implantação de microcrédito, programa de primeiro emprego e uma qualificação profissional com foco na territorialidade.

A proposta de Hermano Morais (PSB) foca na economia criativa como possibilidade de desenvolvimento para Natal. Assim, se eleito, o candidato quer resgatar o antigo Festival de Artes do Natal (FAN), reformar o Teatro Municipal Sandoval Wanderley, criar mecanismos para contratação e pagamento de artistas com menor burocracia e criar o projeto Cultura nos Bairros. Seu plano ainda fala na construção de um complexo turístico e um pórtico. Outro ponto de destaque é a implantação de uma rota de ônibus que interligue os equipamentos turísticos da cidade.

A candidata do Democracia Cristã, Jaidy Oliveira também pretende criar um Balcão empreendedor, voltado aos que perderam o emprego na pandemia e pretender abrir o próprio negócio.

Kelps Lima, do Solidariedade, também aposta no turismo como setor de alavanque para a economia natalense. Para isso, pretende “superar o amadorismo”, profissionalizando trabalhadores e interligando áreas do setor. A partir de um “Plano Estratégico do Turismo”, deve seguir metas pré-estabelecidas de ações anuais na área.

Leia Também: Pesquisa ignorada pela mídia aponta segundo turno em Natal

PSTU quer aumentar IPTU de grandes mansões e reduzir salário de vereadores e prefeito

A candidata do PSTU, Rosália Fernandes, avalia que a atual gestão de Álvaro Dias, bem como a do seu antecessor, Carlos Eduardo Alves, governaram para a parte mais privilegiada da cidade. Assim, pretende inverter prioridades e implantar aumentar o IPTU de grandes mansões, hotéis de luxo, bancos e shoppings, bem como reajustar a cobrança de impostos de grandes empresas. Outra proposta ousada é reduzir salários de vereadores e o da própria prefeita, caso eleita e vice, equiparando o valor ao dos professores da educação básica.

PSOL e PT focam nas pessoas em situação de vulnerabilidade

O diferencial da chapa de Nevinha Valentim, do PSOL, é o olhar mais apurado sobre a situação de grupos vulneráveis, em especial, mulheres, população LGBTQ+, moradores das periferias e pessoas em situação de rua. Para isso, também pretende instituir um centro de atendimento aos trabalhadores e promover estímulos fiscais a empresas que contratem profissionais com esses perfis. Também pretende implantar passe livre para desempregados.

O petista Jean Paul Prates, conhecido como Senador Jean, também pretende incentivar a economia criativa e fomentar empreendimentos econômicos solidários, voltados principalmente para pessoas em situação de vulnerabilidade social, incluindo apenados e egressas do sistema prisional, e deficientes físicos. A possível gestão ainda visa a criação de concessões por meio de Parcerias Público-Privadas (PPPs) para cessão de uso de prédios desocupados. Ponto de destaque do plano é a proposta de criação de uma moeda social voltada para as trocas entre consumidores e fornecedores no âmbito local, com propósito de manter a economia aquecida.

Confira todos os projetos de governos dos candidatos aqui.

Clique para ajudar a Agência Saiba Mais Clique para ajudar a Agência Saiba Mais
Artigo anteriorPróximo artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *