CIDADANIA

Do preconceito à moda: Mulheres fora do padrão também são procuradas no RN para representar marcas

Estar acima do peso, ou ser um corpo não magro para ser mais precisa, é um drama para muitas mulheres. Eu, esta jornalista que escreve este texto, por exemplo, engordei 15 quilos somente durante a pandemia, o que não chega a ser um problema…acho (será?). A gordura extra na barriga incomoda? Bastante, mas o prazer de comer tem sido maior como escapismo à vida política, social e econômica em que vivemos. Mas, por mais evoluídas que tentemos ser, é difícil não se deixar afetar pelas críticas e olhares de reprovação. Para evitá-los, só recorrendo a roupas escuras e mais folgadas quando saio de casa.

A gordofobia, que é uma aversão à gordura e as pessoas que estão acima do peso, o que faz com que elas se sintam inferiores diante das outras, tem sido mais do que um novo vocábulo, se tornou uma bandeira de luta.

“A gente vê o quanto a gordofobia tem estado em pauta na mídia nos últimos cinco anos, e isso é um avanço positivo, porém, nosso corpo ainda segue sendo patologizado e desumanizado. No começo do mês por exemplo, pesquisadores do Reino Unido e da Nova Zelândia lançaram um mecanismo chamado ‘ DentalSlim Diet Control’, que nada mais é que um dispositivo colocado nos dentes superiores e inferiores das pessoas gordas para forçar o emagrecimento através de uma dieta líquida, isso é de uma violência tamanha com as pessoas gordas, que quando vi tive um mal estar, então, veja o quanto nossos corpos seguem sendo violentados.  Precisamos avançar ainda muito, mas seguimos na luta”, relata Cecília Oliveira, ativista e produtora cultural.

Uma causa que não passou desapercebida pelo universo da moda. Recentemente, uma loja de Natal abriu até concurso para selecionar mulheres com manequim a partir do número 44 para escolher uma embaixadora da marca para roupas do segmento “Plus Size”. Mas, apesar dos avanços, quem convive com a questão, sente que essa é uma luta sem data pra terminar.

“A gente vê o quanto a gordofobia tem estado em pauta na mídia nos últimos cinco anos, e isso é um avanço positivo. Porém, nosso corpo ainda segue sendo patologizado e desumanizado. No começo do mês, por exemplo, pesquisadores do Reino Unido e da Nova Zelândia lançaram um mecanismo chamado ‘DentalSlim Diet Control’, que nada mais é que um dispositivo colocado nos dentes superiores e inferiores das pessoas gordas para forçar o emagrecimento através de uma dieta líquida. Isso é de uma violência tamanha com as pessoas gordas que, quando vi, tive um mal-estar. Então, veja o quanto nossos corpos seguem sendo violentados.  Precisamos avançar ainda muito, mas seguimos na luta”, desabafa Cecília.

Cecília Oliveira I Foto: reprodução redes sociais

Em junho, um concurso da agência de modelos Tráfego Models também selecionou uma modelo Plus Size do Rio Grande do Norte para fechar contrato com uma agência de São Paulo, A vendedora, Joyce Maciel, também levou uma ajuda de R$ 3 mil para investir na carreira. Ela já tinha feito alguns trabalhos de maneira informal, para lojas de amigas, mas não conseguiu escapar no bullying ao longo da vida e da pressão para emagrecer.

Eu tive a sorte de estar inserida num núcleo familiar que me criou dentro da realidade, me preparou para os obstáculos da vida a partir da construção de um psicológico forte, uma consciência clara de quem eu era por dentro e por fora”, conta Joyce.

Ser bem resolvida e aceitar o próprio corpo ou forma de ser é um processo que exige tempo, reflexão e amadurecimento. Entre um compromisso e outro, Joyce, que é formada em jornalismo e está cursando psicologia, conversou com a equipe da Agência Saiba Mais. Confira!

Foto: Lucas França

Saiba Mais – Sofreu bullying ao longo da vida pelo fato de ser fora do padrão?

JoyceSim e não! Kkkkkk, a dualidade da resposta se dá devido a interpretação quanto ao “sofrer bullying”. Sim, já tentaram me diminuir pelo meu peso, tamanho. Mas eu nunca “sofri” com isso, pois sempre fui bem resolvida e dona de uma língua muito afiada com o dom de entregar na lata respostas inteligentes para citações burras e maldosas. Com isso, de maneira alguma estou afirmando que o bullying só acontece quando permitimos; eu tive a sorte de estar inserida num núcleo familiar que me criou dentro da realidade, me preparou para os obstáculos da vida a partir da construção de um psicológico forte, uma consciência clara de quem eu era por dentro e por fora. Dessa maneira, conto nos dedos de uma mão as vezes que algum coleguinha de colégio, por exemplo, tentou zombar de mim na frente de outros. Minha resposta era tão engraçada ou ácida que a turma findava rindo do opressor. Aí quem ia se meter comigo?

SM – Sofreu pressão pra emagrecer? O que as pessoas diziam?

JoyceSim. A pressão para emagrecer sempre existiu e creio que sempre existirá. Mas ela não é de todo ruim. Não estou aqui para romantizar a obesidade, não estou aqui para defender que devemos apontar o dedo na cara das pessoas e mandá-las emagrecer. Eu tenho uma vida de guerra com a balança, não é o comentário de uma pessoa horrorizada com meu sobrepeso que vai mudar meus hábitos do dia para a noite. O gordo sabe que é gordo. Mas “gordo” também não é ofensa, se você me fala que tô gorda eu vou concordar porque é verdade e tá tudo bem. É uma característica física atual minha e isso não me ofende porque é o mesmo de você comentar sobre meus olhos verdes. Se um não me incomoda, por que o outro deveria?

Acho que tudo depende da forma como nos cobram esse emagrecimento. Até pq sabemos muito bem quem são as pessoas que falam para nosso bem. Dentro do meu sobrepeso eu tenho meus limites e minhas regras: não posso ultrapassar tal peso, meu culote não deve ficar assim, meu braço tá passando dos limites… Não sou relaxada, mas às vezes, até agradeço quando alguém de casa ou algum amigo fala que exagerei, porque de vez em quando a gente relaxa mesmo sem perceber. Tudo depende de onde vem a cobrança, se ela visa nosso bem físico (saúde) ou se é apenas o comentário de uma tia fofoqueira querendo lacrar. Me ofende mais quando me perguntam “cadê os namoradinhos?”.

SM – Está feliz com o resultado do concurso?

Joyce – Muito feliz com o resultado sim! Eu mesma não esperava que fosse ganhar porque havia meninas incríveis ali comigo naquela final! Meninas essas que espero levar para a vida! Amigas reais que tbm ganhei através do primeiro Tráfego Look Plus Size.

SM – Já começou a trabalhar?

JoyceComecei sim! E comecei com chave de ouro já atuando fora do estado. Fiz trabalhos no Ceará por duas semanas, estou embarcando para São Paulo no início de agosto e depois vou à Paraíba. Muito feliz com as oportunidades que a vida está me proporcionando! Desejo ir longe!

SM – Pretende seguir na carreira daqui pra frente? O que fazia antes?

JoycePretendo sim. Minha mudança para São Paulo está em pauta. Algo assim muda muito os planos da pessoa, então, estou conciliando os outros aspectos da minha vida e torcendo para que aconteça o melhor. Sou jornalista por formação, trabalho como editora para uma revista de Recife. Porém, também curso psicologia que é a realização de um antigo sonho! Desejo conciliar todas as minhas carreiras com êxito, dando o meu melhor em cada área! Acho que todos temos muito potencial para aplicar em inúmeras vertentes, basta ter amor pelo que se faz (e encaixar tudo nas 24h do dia).

Foto: Lucas França

Vídeo do concurso
Clique para ajudar a Agência Saiba Mais Clique para ajudar a Agência Saiba Mais
Artigo anteriorPróximo artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *