CULTURA

Documentário potiguar “Katu” é premiado no Festival de Brasília do Cinema Brasileiro

Documentário que resgata a história de uma das menores e mais ameaçadas etnias indígenas do país, o curta-metragem “A Tradicional Família Brasileira KATU”, de Rodrigo Sena, foi contemplado com duas premiações no 53º Festival de Brasília do Cinema Brasileiro, realizado de 15 a 20 de dezembro, com exibição pelo Canal Brasil e plataforma Canais Globo.

Os jurados reconheceram os méritos de “Katu” com o Prêmio Especial do Júri e com o novo Troféu Cosme Alves Netto, criado especialmente para essa edição pela Anistia Internacional Brasil em reconhecimento à obra que melhor defende nas telas os direitos humanos e pilares humanistas.

“As duas premiações representam um reconhecimento importante pelo trabalho que desenvolvemos junto à comunidade do Katu, em Canquaretama, no Rio Grande do Norte. ‘A Tradicional Família Brasileira – KATU’ desde o início foi abraçado pela comunidade na figura do Cacique Luiz, líder comunitário, que resiste na luta em defesa dos seus territórios”, conta o roteirista e diretor.

Esse foi o 30º festival do curta-metragem, que já foi contemplado neste mês de dezembro outras três vezes: com a principal premiação do Festival de Cinema Ambiental de Goias – FICA; com prêmio do GeoFilmeFestival, na Itália; e menção honrosa no Circuito Penedo de Cinema em Alagoas.

A realização do filme, que tem 25 minutos de duração, é da ABOCA Audiovisual, Ori Audiovisual e Studium Produções e foi viabilizado com patrocínio da Prefeitura do Natal, BRDE, FSA e ANCINE, por meio do edital Cine Natal.
Rodrigo Sena diz que o reconhecimento lhe dá certeza que, por meio da cinema, pode ajudar a reverberar histórias que promovam a defesa pelas lutas sociais.

“Nossa história com o Katu não se encerra nesse filme, temos certeza de que outros filmes ainda serão germinados das terras potiguaras”, diz o cineasta que é também descendente de Potiguara, apesar de não fazer parte da comunidade.
O primeiro contato com a comunidade foi em 2007 quando era repórter fotográfico do jornal Tribuna do Norte produziu matéria, junto com o jornalista Itaércio Porpino, sobre o 19 abril.

Além da reportagem, fez ensaio fotográfico com crianças – as imagens são o dispositivo cinematográfico para reencontro com os personagens 10 anos depois, abordando as suas relações com a identidade indígena.

Com o filme e enquanto fala sobre o trabalho, Rodrigo Sena quer ecoar as vozes da mais genuína família brasileira: “Sou Potiguara nessa terra de Tupã, não tenho como desistir dessa luta… Tiraram nossas folhas, cortaram nossos galhos, derrubaram nossos troncos, mas esqueceram de uma coisa: de nossas raízes”. (Cacique Luiz Katu)

Veja o trailer:

Clique para ajudar a Agência Saiba Mais Clique para ajudar a Agência Saiba Mais
Artigo anteriorPróximo artigo
Isabela Santos
Isabela Santos é jornalista e repórter da agência Saiba Mais