CULTURA

Dono da Riachuelo, Flávio Rocha é eleito o Chato do Ano em 2017

Anúncios

Mais aguardada que o resultado da Mega da Virada, a lista de Chatos do Ano é publicada pela primeira vez pela agência Saiba Mais. A relação é uma brincadeira com fundo de verdade dos principais destaques do ano em várias áreas. A publicação da lista é de inteira responsabilidade do editor Rafael Duarte. Vamos aos vencedores e vencedoras e, através deles, relembrar alguns dos fatos que marcaram o Rio Grande do Norte em 2017.

 

1º lugar: Flávio Rocha – chato Painho da Casa Grande

Ninguém personificou melhor o papel de chato em 2017 do que o dono da Casa Grande, ou melhor, das lojas Riachuelo. Depois do chilique público contra uma procuradora do Trabalho ao ser cobrado na Justiça por descumprir a legislação trabalhista, Flávio Rocha se auto-intitulou o Painho dos trabalhadores da Guararapes, fábrica têxtil onde até para ir ao banheiro os funcionários devem respeitar um cronômetro. Com louvor, o Painho da Casa Grande é o grande chato de 2017.

 

2º lugar: Robinson Faria – chato Promissória

Anúncios

Segundo Pai Google de Aruanda, promissória nada mais é do que uma promessa de pagamento. Preciso continuar o texto ? Pois é, o governador Robinson Faria levou ao pé da letra o ditado “promessa é dívida”. Que o digam os servidores públicos do Estado, que ainda não receberam dezembro, 13º salário e por aí vai. Prometia ser o primeiro, mas descumpriu de novo e acabou em 2º.

 

 3º lugar: Rogério Marinho – chato Capitão do Mato

Existe o dono da Casa Grande e aquele que faz o trabalho sujo. Relator da lei que regulamenta a nova escravidão brasileira, o deputado federal Rogério Marinho (PSDB) é um capitão do mato pós-moderno. De terno, gravata e saco preto, o parlamentar potiguar passou 2017 caçando trabalhador com carteira assinada. Dizem as más línguas que em 2018 não vai sobrar um “velhinho” com plano de saúde para contar história.

 

4º lugar: Erika Nesi – chata Kátia Cega

A ex-colunista social Erika Nesi cunhou em 2017 um novo slogan para o jet set natalense. Em vídeo-desabafo na internet, a frase “tomar café com a federal não é fácil” ganhou o mundo. Erika e o marido empresário Fred Queiroz foram presos pela PF em razão de desdobramentos da operação Lava jato. Assessor direto do ex-deputado Henrique Alves, Fred Queiroz deixou a prisão depois de assinar acordo de delação premiada com o MP. Pelos lados do Plano Palumbo há quem ouça a voz de Kátia Cega cantando: “não está sendo fácil viver assim, você está grudado em mim…”

 

5º lugar: Cláudio Santos – chato Poupa Ganha

Um desavisado que chegasse ao RN nos primeiros meses do ano sem saber o nome do governador do Estado certamente apontaria para o desembargador Cláudio Santos. Ex-presidente do TJRN, anunciou que sua gestão à frente do Tribunal havia poupado R$ 500 milhões e aceitou repassar a bolada para o Executivo com a condição de que fosse para investir nas áreas escolhidas por ele. O “governador” saiu de cena ensaiando concorrer ao Executivo em 2018. Dessa vez pelas vias legais. Cláudio Santos poupou a grana e ganhou o 5º lugar na lista de Chatos.

 

6º lugar: Carlos Eduardo – Chato Cabeça Dura

Em 2017 não teve quem convencesse o prefeito Carlos Eduardo Alves de que teatro também é cultura. Pré-candidato ao Governo em 2018, já avisou que vai demolir o teatro Sandoval Wanderley. A última esperança do segmento artístico vem do Ceará. É que o prefeito só ouve Fagner. De tanto que vem a Natal há quem diga que o autor de Canteiros é pré-candidato a Rei Mago em 2018.

 

7º lugar: Daniel Menezes – Chato Para-raio

O sociólogo Daniel Menezes é a nova aposta do blogueirismo de governo. Mas o esmero como porta-voz da atual gestão o levou a um patamar perigoso: o de para-raio do governador nas redes sociais. Menezes tem levado tanta bordoada de servidor público que Robinson e Temer já pensam em criticá-lo publicamente para reverter as baixas popularidades.

 

8º lugar: Hilneth Correia – Chata Anti-corrupção

A colunista social Hilneth Correia é uma autêntica representante do movimento anti-corrupção natalense. De camisa da CBF no peito e taça de proseco na mão, ergueu a bandeira do anti-petismo na cidade. Acabou denunciada pelo MP como funcionária fantasma da Assembleia Legislativa. Foi golpe. Do destino, talvez.

 

9º lugar: João da Mata – Chato Moinho de Vento

Em 2017 os poetas natalenses foram declarados animais em extinção pelo professor João da Mata. Segundo o físico e especialista em Dom Quixote, não sobra mais ninguém pra rimar um verso com outro na cidade à exceção de Jorge Fernandes e Zila Mamede. O mundo quase veio abaixo com a declaração. Uma manifestação foi organizada no Beco da Lama, mas em razão da imensa perspectiva de público e da presença de professores da UERN e servidores da saúde, a PM ameaçou partir pra porrada e a manifestação foi cancelada. Sob protestos do poeta Zé Ferreira, é bom deixar claro.

 

10º lugar: Jaufram Siqueira – Chato Bolsominion

Eles estão por toda parte. E não ligam para a própria reputação. Os adoradores de Bolsonaro seguem em campanha firme pelo troféu vergonha alheia. Em 2017, o Instituto Felipe Camarão deu um passo importante. A entidade é dirigida pelo ex- candidato a vereador Jaufram Siqueira, aquele que sugeriu queimar feministas caso fosse eleito. Semana passada, Jaufram sugeriu acabar com os direitos humanos no Brasil. O próximo projeto do Instituto é garantir aos Bolsominions a inclusão da espécie na lei de proteção aos direitos dos animais.

 

Parabéns aos vencedores e feliz 2018

Artigo anteriorPróximo artigo
Rafael Duarte
Jornalista e autor da biografia "O homem da Feiticeira: A história de Carlos Alexandre"