DEMOCRACIA

Dono da Riachuelo perde ação para Boulos após ser chamado de hipócrita

Flávio Rocha afirmou em fevereiro que sua candidatura à presidência seria uma traição ao Brasil 200

A Justiça arquivou ação por danos morais movida pelo dono da Riachuelo Flávio Rocha contra o líder do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto Guilherme Boulos. O processo era baseado numa declaração de Boulos, via twitter, que chamara o empresário na pré-campanha eleitoral de 2018 de “tremendo hipócrita”:

– “Flavio Rocha, dono da Riachuelo, lançou manifesto atacando a esquerda e dizendo que é o livre mercado que salvará os pobres da miséria. É um tremendo hipócrita, cuja empresa foi condenada por trabalho escravo”, disse Boulos.

Ao arquivar a ação, a magistrada afirmou que “não é aceitável excesso de suscetibilidade de quem deseja concorrer a cargo de exposição política e pública”.

O promotor do caso deu uma aula sobre o significado da palavra hipocrisia. Na peça, em que pede o arquivamento da denúncia, ele escreveu que Flávio Rocha se enquadrava na classificação em razão do contexto em que a palavra foi usada:

– “Hipócrita é aquele que defende uma coisa, quando sente ou pensa outra, que dissimula sua verdadeira personalidade e afeta, quase sempre por motivos interesseiros ou medo de assumir sua verdadeira natureza, qualidades ou sentimentos que não possui. No caso em comento há pertinência no uso da palavra porque, no discurso do querelado (pré-candidato à presidência da República), o autor privado (também pré-candidato à presidência da República da República) agia de forma diversa daquilo que pregava em suas atividades comerciais”, escreveu.

A defesa de Flávio Rocha já avisou que vai recorrer.

Artigo anteriorPróximo artigo
Rafael Duarte
Jornalista e autor da biografia "O homem da Feiticeira: A história de Carlos Alexandre"

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *