CULTURA

DoSol programa atividade para público de 100 pessoas em dezembro e Festival em 2022

Diante do quadro pandêmico atual, ainda não é o momento certo para realizar grandes eventos, na opinião da equipe que produz o Festival DoSol, um dos maiores eventos de música do Rio Grande do Norte e que completa 20 anos. Por essa razão, a festa só voltará a ser realizada no ano de 2022. Entretanto, para este ano, haverá uma atividade reduzida e no formato híbrido, com transmissão ao vivo.

De 9 a 12 de dezembro, a Casa da Ribeira vai receber um público vacinado (com as duas doses) de até 100 pessoas. Estão confirmadas as bandas Fortunato, os jovens de ontem e Ferve, além de uma apresentação de Simona Talma e Luiz Gadelha, em comemoralão aos dez anos do álbum “Matando o amor”, da banda Talma&Gadelha, que contava também com Henrique Geladeira, Cris Botarelli e Emilly Barreto.
Também haverá shows de Dega, Filosofino (PB) e Breno Slick & Amém Ore.

De acordo com o produtor cultural Anderson Foca, é possível que haja duas edições do DoSol em 2022. A primeira está agendada para abril, mas sem data certa ainda. “Queremos antes prestar atenção ao movimento, se vamos ter algum tipo de retrocesso na pandemia, o que a gente não acredita que aconteça. Com a vacinação avançando acho que a gente vai ter condições com os devidos cuidados”, afirma o produtor, que não parou durante a quarentena.

Em agosto deste ano, foi realizado o Festival Dosol Online – Interior do RN, no Teatro Dix-Huit Rosado, em Mossoró, apresentando artistas dessa cidade e ainda de Pau dos Ferros e Santa Cruz. Essa ação foi realizada com recursos da Lei Aldir Blanc Rio Grande do Norte e está disponível em canal do Youtube.

Em novembro de 2020, teve o Festival Online, na Casa da Ribeira, com uma programação que inclui shows, debates sobre jornalismo cultural, documentação, designer e composição, além de entrevistas com os artistas.

A retomada das atividades presenciais foi tema de conversa entre Foca e a produtora Ana Morena no episódio mais recente do Podástico, podcast do Dosol.

“Além de você ter medo, você ainda tem culpa de estar se colocando em risco. Mas a gente tem voltar a viver em sociedade e aprender a conviver com o víru. eu acho que os dois protocolos base são tomar as duas doses da vacina e usar a máscara correta”, disse Ana, que é também presidente da Associação Brasileira de Festivais Indepentes – Abrafin.

Clique para ajudar a Agência Saiba Mais Clique para ajudar a Agência Saiba Mais
Artigo anteriorPróximo artigo
Isabela Santos
Isabela Santos é jornalista e repórter da agência Saiba Mais