DEMOCRACIA

‘É como se tivessem dois Moros’, diz Natália em sessão com ministro da Justiça

O ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, participou nesta terça-feira (2) de sessão na Câmara dos Deputados, em Brasília. Durante a ocasião, parlamentares questionaram o ministro e ex-juiz por mais de oito horas. O motivo era a prestação de esclarecimentos sobre a conduta da Operação Lava-Jato, após revelação do site The Intercept Brasil de mensagens trocadas entre o então juiz e os procuradores que integravam a operação, agora posta em suspeição devido ao caráter antiético pelo qual os processos foram direcionados.

Na sessão, a deputada federal Natália Bonavides (PT/RN) inicialmente fez uma exposição sobre a queda de 10 pontos na popularidade do ministro, divulgada pelo jornal Valor Econômico, após revelação de reportagens do Glenn Greenwald, do The Intercept.

Natália também questionou o ministro sobre o posicionamento que ele estava tomando durante a reunião, de não prestar os devidos esclarecimentos sobre como o processo se deu e de como algumas atitudes foram tomadas, por parte do próprio juiz, especialmente quando decidiu aceitar o posto de ministro do governo Bolsonaro, evidenciando a imparcialidade sob a qual o juiz conduziu os processos da Lava-Jato, a exemplo do contra o ex-presidente Lula, que está preso em Curitiba. 

“A linha da sua defesa é contraditória”, afirmou Natália. “Ora [excelentíssimo] diz que não tem nada demais nas mensagens; ora diz que não reconhece as falas. É como se tivessem dois Moros”, conclui. 

A deputada federal eleita pelo Rio Grande do Norte pontuou ainda a contradição na qual Sérgio Moro orientou o caso do vazamento ilegal de áudios envolvendo diálogos entre a ex-presidenta Dilma Rousseff e o ex-presidente Lula. Esse vazamento foi alvo de críticas do então ministro do Supremo Tribunal Federal, Teori Zavascki. Completando a fala, Natália expôs: um dos Moros fez um vazamento ilegal. O outro Moro, o de hoje, reclama dos vazamentos que são objetos de reportagens. 

O Moro juiz é um e o Moro ministro parece ser outro

Esta já é a segunda vez que o ministro presta esclarecimentos aos parlamentares. A primeira foi na sessão da Constituição de Comissão, Justiça e Cidadania (CCJ) do Senado Federal, dia dia 19 de junho, onde também seguiu a mesma retórica de negar a credibilidade das reportagens, que contradiz totalmente a veracidade das mensagens já afirmadas por grandes veículos como a Folha de São Paulo e a Veja (grandes apoiadoras de discursos e condutas anteriores da Operação). 

“[É] uma pena que o senhor esteja ignorando tantas perguntas que estão sendo feitas. O senhor não cumpre com sua função e desrespeita a prerrogativa das deputadas e dos deputados. É um desrespeito a esta comissão e mostra que o senhor não tem respostas razoáveis para dar”, completou a parlamentar do PT

A íntegra da sessão está disponível no portal da Câmara dos Deputados.

Artigo anteriorPróximo artigo
Pedro Torres
Pesquisador e jornalista com foco em direitos humanos, política e tecnologia baseado em Natal/RN. CONTATO: pedrohtorres@outlook.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *