CIDADANIA

Era fake news: Governo do RN não perdeu 4 mil doses de vacinas e MPF arquiva denúncia

O Ministério Público Federal (MPF) arquivou a investigação sobre supostas irregularidades no plano estadual de vacinação contra a covid-19 do Rio Grande do Norte. O plano prevê a perda operacional de até 5% das doses enviadas pelo Ministério da Saúde ao estado.

Com as informações solicitadas à Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap), o MPF constatou que a previsão de perda operacional está de acordo com as melhores técnicas e com as instruções do Ministério da Saúde.

O MPF destacou também que as campanhas de vacinação devem considerar, no planejamento, as perdas de doses, causadas por motivos técnicos – como esgotamento do prazo de validade – ou casos fortuitos e de força maior – como a quebra acidental de frascos ou problemas no acondicionamento térmico. Os planos estaduais de outros estados, como Espírito Santo, Santa Catarina, Amazonas, Mato Grosso do Sul e Maranhão, também incluíram a mesma possibilidade.

Segundo o Ministério Público, não há irregularidades nessa previsão. Destaca-se ainda que o percentual de 5% está longe de ser alcançado até o momento no estado. Durante o primeiro mês de vacinação, apenas 10 doses foram perdidas; outras 61 estão sob análise, em virtude de oscilações de temperatura no armazenamento. O número não chega a 1% das 82.440 doses recebidas.

Assim, o MPF ressalta que “as perdas operacionais devem ser evitadas ao máximo, a fim de otimizar a campanha de vacinação”, como vem acontecendo regularmente no RN, já que “no atual cenário pandêmico decorrente da crise médico-sanitária causada pelo novo coronavírus, as campanhas de vacinação passaram a ocupar posição de destaque como medida sanitária capaz de refrear o avanço da covid-19, assegurando os direitos à vida e à saúde dos cidadãos”.

No início de fevereiro, uma notícia falsa foi disseminada sobre o assunto por blogs no estado. As publicações diziam que o Governo Fátima havia perdido de forma criminosa 4 mil doses da CoronaVac. Esse número diz respeito a essa estimativa de perda operacional.

Em nota, a Sesap-RN já havia esclarecido que essa perda pode não acontecer, o que permitirá ampliar a distribuição das doses a mais pessoas que estão previstas como prioridade.
“Este percentual em estoque, indicado pelo Programa Nacional de Imunização, torna-se imprescindível para que se possa repor as doses que por ventura possam ser ‘perdidas’, visando garantir a vacinação do público estimado nesta etapa”, explicou.

Clique para ajudar a Agência Saiba Mais Clique para ajudar a Agência Saiba Mais
Artigo anteriorPróximo artigo
Isabela Santos
Isabela Santos é jornalista e repórter da agência Saiba Mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *