CIDADANIA

Escolas da rede pública usam inteligência artificial para evitar evasão escolar no RN

As escolas da rede pública de ensino do Rio Grande do Norte passaram a enfrentar o problema da evasão escolar de uma maneira diferente: utilizando softwares de inteligência artificial. Somente no ano passado, o Estado registrou cerca de 12% nos números de evasão escolar somente no Ensino Médio. Com a preocupação sobre os números aumentando, a Secretaria da Educação e da Cultura (Seec) implementou um sistema que prevê quais estudantes terão maior possibilidade de entrarem para estatística ao evadir do ambiente de ensino.

A ideia é que as escolas da rede pública consigam prever e traçar estratégias de combate ao problema, explica a coordenadora de Gestão de Informação e Tecnologia na Seec, professora Ana Paula Flor.

“Por meio da tecnologia, nós conseguimos fazer uma prevenção para evitar essa evasão. O SIGEduc traz essa funcionalidade em que se utiliza a predição e mostra os estudantes que têm alto risco de evadir durante o ano letivo”, explica a professora e coordenadora sobre o novo recurso do Sistema Integrado de Gestão Educacional (SIGEduc).

De acordo com a coordenadora, os esforços feitos pelos órgãos de ensino no país sempre são sempre voltados para agir após o momento da evasão, o que torna mais difícil a reconquista dos alunos e o enfrentamento do problema. É com essa preocupação que o Estado está se adiantando para fazer um trabalho que previna a evasão escolar ao se aliar à tecnologia da Inteligência Artificial (IA).

“Nós disponibilizamos para gestores de escolas e regionais, além dos professores, todos aqueles alunos que têm alto início de evadir, no início do ano letivo, para que os educadores possam atuar e evitar que eles abandonem a escola”, complementa Ana Paula.

A ferramenta de Inteligência Artificial será utilizada por meio do Sistema Integrado de Gestão Educacional (SIGEduc), que é responsável por gerenciar as matrículas e as escolas da rede pública de ensino. O sistema funcionará a partir da análise do perfil dos estudantes matriculados.

“Fizemos um trabalho de ciência de dados em que se buscou entender todo o comportamento dos alunos que abandonam a sala de aula. Avaliamos sobre o que mais influencia na questão da evasão e, assim, criamos um modelo de inteligência artificial capaz de prever esse evento. Para cada aluno, o algoritmo dará uma probabilidade: alta, média ou baixa de abandono. Isso já está disponibilizado para gestores e professores”, explica Gleydson Lima, representante da empresa que implementou o recurso na Secretaria.

Com essa atualização do SIGEduc, a Secretaria pretende melhorar a qualidade da educação dos potiguares e se antecipar para previnir que mais estudantes evadam das escolas. “Vai ser um ganho imenso, pois é um passo importante para combater a evasão e é um processo riquíssimo para melhoria do nosso IDEB e do aprendizado no nosso Estado”, conclui Ana Paula.

Clique para ajudar a Agência Saiba Mais Clique para ajudar a Agência Saiba Mais
Artigo anteriorPróximo artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *