CIDADANIA

Estudantes reivindicam professores na rede estadual a cinco meses do Enem

Faltando cinco meses para o Enem, que acontece nos dias 3 e 10 de novembro, os alunos da 3ª série da Escola Estadual Sebastião Fernandes de Oliveira, no bairro do Tirol, em Natal, estão sem professores de português e história.

Além da 3ª série, outras turmas entre o 6º ano e a 2ª série sofrem com falta de professores de ciência, geografia e história.

Segundo a direção do colégio, o déficit é causado por aposentadorias, licenças e transferências entre escolas.

“Periodicamente atualizamos a lista com a falta de professores do nosso colégio junto à secretaria de Educação. Eles nos respondem que estão aguardando convocação e que quando tiver irão nos mandar novos professores”, afirmou o diretor da escola João Batista.

Até quem não mais estuda, mas viveu o dia-dia do ambiente, sofre com a atual situação da escola estadual. Igor Souza é ex-aluno da Escola Sebastião Fernandes de Oliveira e atual membro da União da Juventude Potiguar. Ele visitou o local onde fez o ensino médio e denunciou o descaso:

“Está pior do que na época que estudei. A falta de professores é uma grande dificuldade, mas não é a única. A escola sofre com um grande problema estrutural”, afirmou o ex-aluno Igor Souza.

De acordo com Igor, com informações confirmadas pela direção da escola, parte do pátio está destelhado. Quando chove o espaço fica embaixo d’água. A escada é outro ambiente de risco, pois existe uma infiltração acima dos degraus, dificultando a locomoção.

“Estruturalmente falando está horrível. O teto do pátio está todo esburacado, com aberturas. Quando chove ele fica todo molhado. Existem goteiras bem perto de fios elétricos”, falou o membro do grêmio estudantil da escola estadual, Erick Vinícius, de 17 anos.

“No começo do ano, fui tentar ligar o fio do projetor na tomada e pegou fogo, isso aconteceu mais três vezes desde então. Sem contar que dois ventiladores já caíram. Um na minha sala”, afirmou o aluno.

Erick ainda afirmou que já presenciou um acidente causado pelos problemas estruturais da escola. Um estudante com problemas motores estava andando e escorregou na água que se espalha pela escola, caindo sobre um vidro. Segundo Erick, o estudante teve de realizar pontos após o ocorrido.

Pátio da escola não pode ser utilizado quando chove, pois parte do teto está destelhado. (foto cedida pela UJP)

A União da Juventude Potiguar e o grêmio estudantil da escola visitaram a secretaria de Educação no início deste mês e foram recebidos pelo subsecretário Marcos Lael de Oliveira. De acordo com os alunos, foi prometido uma visita para o dia 17 deste mês, porém até hoje ninguém da secretaria apareceu na escola.

Segundo os alunos, a justificativa da SEEC é que será realizada uma reforma na estrutura da escola, mas ainda sem prazo definido. A mesma informação foi repassada pela direção da escola, que enviou ofícios solicitando melhorias no ambiente.

Procurada, a secretaria de Educação falou sobre a falta de professores na escola Estadual Sebastião Fernandes de Oliveira. Segundo a SEEC, nesse momento professores recentemente convocados estão sendo distribuídos dentre as escolas pelo estado.

Confira a nota da Secretaria de Educação

A SEEC realizou uma convocação e ainda está distribuindo os professores pelas escolas da rede estadual. Somente após a conclusão desse processo e um novo informe das escolas por demanda de professor, haverá um novo número relativo a déficit. No início do ano letivo, era algo em torno de 400 professores. O Governo do RN convocou 410 professores efetivos nos primeiros meses para atender essa demanda.

Clique para ajudar a Agência Saiba Mais Clique para ajudar a Agência Saiba Mais
Artigo anteriorPróximo artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *