+ Notícias

“Eu comemoro demais que Bolsonaro fale mal de mim”, disse em agosto presidente eleito da Argentina

Anúncios

Se Jair Bolsonaro achou que o presidente eleito da Argentina Alberto Fernández perderia o sono porque se negou a telefonar para o colega, afim de parabenizá-lo pela vitória nas urnas, perdeu a viagem. As grosserias do presidente do Brasil são devolvidas pelo argentino sempre com críticas duras, como ocorreu em agosto, quando durante entrevista a uma TV argentina, Fernández disse que “não tinha problema algum em ter problemas com Bolsonaro”.

Em meio à campanha pela sucessão de Maurício Macri, o agora presidente eleito disse que comemorava sempre que ouvia o brasileiro falar mal dele:

– Eu comemoro demais que ele fale mal de mim. Um racista, um misógino, um violento, um sujeito que celebra a tortura à Dilma Rousseff. Eu comemoro. Na verdade o que eu pediria ao presidente Bolsonaro é que liberte Lula. E que concorra às eleições com Lula em liberdade. Se você vê o ministro da Justiça que ele nomeou… e vamos sabendo como esse ministro da Justiça que julgou e condenou Lula incitava procuradores a atuarem para que Lula não se tornasse candidato. Com Bolsonaro eu não tenho problemas em ter problemas, sinceramente. Não. E tudo o que ele está dizendo é um enorme disparate. As pessoas vão se dar conta disso.

No domingo (27), Alberto Fernández divulgou uma foto com a equipe de campanha parabenizando o ex-presidente Lula pelo aniversário de 74 anos fazendo o já tradicional gesto com as mãos, cujo significado é “Lula Livre”. Bolsonaro retrucou dizendo que a foto era uma “afronta à democracia brasileira”. O presidente do Brasil também lamentou a escolha dos argentinos que elegeram Alberto Fernández, negando a reeleição ao atual presidente Maurício Macri.

Artigo anteriorPróximo artigo
Rafael Duarte
Jornalista e autor da biografia "O homem da Feiticeira: A história de Carlos Alexandre"

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *