OPINIÃO

Eu sei o que vocês fizeram no verão passado

Sim, eu sei de tudo. E lembro de tudo. Recordo com exatidão das mensagens de zap com memes celebrando o “herói da pátria” que havia prendido o “nove dedos”. Lembro também das postagens quase comemorando a morte de Dona Marisa, das acusações de que Chico Buarque era milionário por causa da Lei Rouanet, que na verdade era só uma mamata para artistas de Esquerda se darem bem.

Eu lembro que você chamava, no Facebook, sociopata de “Capitão”. Que passou pano para quem disse que não estuprava uma mulher “porque ela era tão feia que não merecia”. Que quilombolas “são pesados em arrobas e não servem nem para procriar”. Recordo ainda que você postava castelos europeus e universidades brasileiras como se fossem mansões do filho do Lula, este que ainda era dono da Friboi e da Havan.

Lembro como se fosse hoje das mensagens de zap falando de como o Haddad iria distribuir mamadeiras de piroca em creches e do tal kit gay, que incentivaria nossas crianças a serem homossexuais depravados.

Não posso dizer que lembro porque não estava lá para ver, posto que a urna eletrônica é espaço solitário e inviolável (além de segura, como você tantas vezes duvidou) mas aposto que seu dedinho apertou primeiro o 1, depois o 7 e por fim confirmou seu candidato, com um sorriso de triunfo nos lábios já que estava ajudando a derrotar o PT, afinal, “tudo menos o PT”. De quebra poderia, após o resultado final tirar onda com seu amigo e vizinho esquerdista/comunista. Dessa parte eu lembro bem.

Enfim, eu sei o que você fez no verão passado. Tenho boa memória. Além de prints, é claro.

Mas tudo isso para dizer que além de saber de tudo e lembrar, também tenho consciência que hoje o mais importante é vencer o fascismo que nos assusta como uma sombra, um fantasma. Que o fundamental é tirar do poder um projeto de poder familiar e para os mais ricos, baseado em exclusão, princípios medievais e truculência.

Sei de tudo que foi feito. Mas também sei o que quero para o país a partir de 2022 e o que é necessário para tal.

E percebo que Lula, maior líder político do país e que lidera toda e qualquer pesquisa de intenção de voto para presidente da República, sabe também o que fizeram com ele e se lembra, e com certeza dos detalhes mais sórdidos e dolorosos: A morte da esposa, a morte do irmão cujo sepultamento não pode estar porque preso. A morte do neto.

Lula lembra de tudo que fizeram com ele no verão passado. Mas sabe que é necessário tirar o miliciano-sociopata-fantoche do poder. E que para isso são necessárias alianças. Mesmo com quem fez coisas reprováveis no verão passado, faz parte. É política que chama.

Eu sei o que Geraldo Alckmin fez no passado. Sei do hábito que tinha de mandar a PM bater em professores, dos escândalos com a merenda escolar, etc. Sei também que Lula sabe. Mas sabemos todos que Geraldo Alckmin como companheiro de chapa agregaria setores (empresariado paulista, católicos, etc) importantes tanto para a eleição de Lula como, talvez ainda mais, para a governabilidade após a posse.

Podemos aplicar esse raciocínio a MDBistas, jornalistas da Direita ´de sapatênis, parte da classe empresarial.

Portanto, que continuemos lembrando o que esse pessoal fez no verão passado e que nosso rancor seja individual e interno. Mas, em política não existe rancor e não se faz militância apontando o dedo na cara dos outros. Gente ofendida e magoada vota contra o candidato do agressor só de birra.

Eu sei o que vocês fizeram no verão passado. Mas, podemos esquecer isso durante 2022 para garantir um verão de 2023 sem o fascismo no poder e com possibilidade de reconstrução do Brasil.

Clique para ajudar a Agência Saiba Mais Clique para ajudar a Agência Saiba Mais
Artigo anteriorPróximo artigo