DEMOCRACIA

FAB e Fábio Faria contribuíram para fuga de Olavo de Carvalho, aponta denúncia

O governo de Jair Bolsonaro pode ter viabilizado a fuga de Olavo de Carvalho do Brasil. O guru dos conservadores teria viajado aos Estados Unidos a bordo de um avião da Força Aérea Brasileira (FAB), enviado para ser utilizado pelo ministro das Comunicações, Fábio Faria. A hipótese foi apresentada no sábado (20) em rede social pela escritora Daniela Abade, que narrou o passo a passo da suposta viagem com detalhes.

Olavo deixou o Brasil após ser intimado pela Polícia Federal (PF) para prestar depoimento no inquérito que apura a existência de uma milícia digital que tem o objetivo de desacreditar a democracia e as instituições.

Fabio Faria disse não ter relação com o caso. “FAKE NEWS!! Não conheço Olavo de Carvalho, nunca o vi na vida e não fui de FAB para os EUA. Irresponsabilidade soltar maluquices na imprensa sem checar. É preciso investigar e punir esses devaneios que se espalham irresponsavelmente”, declarou na noite do sábado (10).

Apesar disso, a fala do potiguar não nega o que foi dito pela escritora que apurou a história. “Fui em busca dos registros de voo da FAB em novembro e uma informação interessante apareceu: o ministro Fabio Faria não tinha se deslocado de Glasgow para Nova Iorque pela FAB. Ele só começou a usar um avião da FAB em NY no dia 14”.

Abade contou que acessando o site de rastreamento mais famoso, o Flight Radar, não é possível encontrar qualquer resultado porque a FAB pediu sigilo nesses voos. Entretanto, isso só acontece no site.

“No aplicativo, existe o registro, mesmo que pareça que não exista. Clicando na flecha do lado direito, você tem a imagem do itinerário, mesmo que não tenha sido registrado os locais, que são gravados pelos equipamentos de radar”, explicou, mostrando como conseguiu acesso a informações dos voos realizados no período da fuga e que inclui também uma viagem do ministro Paulo Guedes.

Neste domingo (21), a FAB publicou uma nota oficial negando que pediu o sigilo e negando ter transportado Olavo de Carvalho em voo com destino aos Estados Unidos no dia 13 de novembro. Segundo a Aeronáutica, não foram transportados passageiros no voo, apenas tripulantes que cumpriam missão.

“A FAB repudia e não aceita a suposição de que teria participado de algum transporte de passageiro de maneira irregular ou oculta. Todos os atos da Instituição são balizados pela observância às leis e sob a ótica da transparência. A divulgação de inverdades, sem a devida apuração, deve ser combatida, por contribuir para a desinformação da sociedade.”, declarou, ao reiterar que cumpre o estabelecido pelo Decreto n° 10.267, de 5 de março de 2020, que dispõe sobre o transporte aéreo de autoridades em aeronaves do Comando da Aeronáutica.

Clique para ajudar a Agência Saiba Mais Clique para ajudar a Agência Saiba Mais
Artigo anteriorPróximo artigo
Isabela Santos
Isabela Santos é jornalista e repórter da agência Saiba Mais