DEMOCRACIA

Fábio Dantas comunica ao PC do B que será pré-candidato ao Governo pelo PSB

O vice-governador Fábio Dantas já é passado para o PC do B. Ele comunicou nesta terça-feira (27) aos comunistas que trocará a sigla pelo PSB, dirigido no Rio Grande do Norte pela família Motta e por onde tenta viabilizar sua candidatura ao Governo do Estado. Fábio ainda deve se reunir com o presidente Antenor Roberto para oficializar a desfiliação, mas já avisou que não seguirá com o Partido. Filho do prefeito de São José de Mipibu Arlindo Dantas, proprietário da fazenda Olho D’Água e herdeiro da cachaça Berckmans, Fábio Dantas chegou ao PC do B em 2013 cercado de expectativa em razão da liderança que exerceu no primeiro mandato de deputado estadual.

A eleição como vice-governador levou o partido comunista a um patamar inédito na política recente do Estado. Aos poucos, no entanto, o entusiasmo foi dando lugar à insatisfação, especialmente entre os militantes da base comunista.

As atitudes de Fábio Dantas durante a gestão Robinson Faria vinham sendo bastante criticadas internamente pelo PC do B. O vice-governador era uma espécie de escudo de Robinson. Sempre que o chefe do Executivo viajava e deixava o vice em seu lugar, um projeto de ajuste fiscal, geralmente penalizando a população ou o servidor público, chegava a Assembleia. Foi assim quando o Governo propôs aumento de impostos e também quando enviou projetos que retiravam direitos do funcionalismo estadual.

O estopim da crise ocorreu durante a votação do pacote de ajuste fiscal enviado em janeiro pelo Executivo a Assembleia Legislativa. Fábio Dantas foi o principal articulador da votação junto aos deputados. Apesar do trânsito livre e da habilidade nos bastidores, o vice-governador não evitou a derrota do Governo, que não conseguiu aprovar nem a metade dos 20 projetos enviados a Casa.

Além da desmoralização do governo Robinson, o pacote de ajuste fiscal colocou o PC do B numa saia justa. Uma das propostas enviadas a Assembleia extinguia a secretaria de Esportes e Lazer, cujo secretário era o comunista Francisco Canindé de França, que soube da medida pela imprensa e pediu exoneração do cargo. O PC do B publicou uma nota pública contra o ajuste.

A Agência Saiba Mais conversou com algumas lideranças do PC do B. Todas reconheceram a liderança de Fábio Dantas, mas deixaram claro que o perfil dele não se adaptou à ideologia do partido. Assim que Dantas assinou a ficha de filiação do Partido Comunista do Brasil em 2013, criou-se a expectativa, dentro do PC do B, de que ele fortaleceria a legenda e encontraria seu espaço político num partido de tradição progressista. Uma das lideranças entrevistadas foi taxativa:

– O Partido nunca pressionou ou exigiu que o senhor Fábio Dantas se tornasse um militante orgânico, mas sem dúvida nossa expectativa era que ele se tornasse um militante interessado em fazer crescer o Partido.

 A partir de agora, Fábio Dantas e PC do B seguem caminhos distintos. Os comunistas têm uma reunião nesta quarta-feira com lideranças do PT para retomar um debate sobre alianças. Uma das preocupações dos comunistas é em relação à cláusula de barreira. A partir de 2018, os partidos terão de receber uma porcentagem mínima de votos para ter representação na Câmara. A ideia do PC do B era lançar Fábio Dantas a deputado federal, mas tudo indica que ele deve optar pela disputa majoritária ao Governo do Estado pelo PSB.

Reportagem da Agência Saiba Mais publicada nesta terça-feira revela os bastidores em torno da candidatura de Fábio Dantas para o Governo do Estado. O projeto está sendo articulado pelo presidente da Assembleia Legislativa Ezequiel Ferreira de Souza (PSDB). A ideia é garantir a reeleição de pelo menos 14 deputados estaduais.

Artigo anteriorPróximo artigo
Rafael Duarte
Jornalista e autor da biografia "O homem da Feiticeira: A história de Carlos Alexandre"