DEMOCRACIA

Fátima reforça papel da ciência nas decisões do Governo e anuncia mais 56 leitos de UTI no RN

Anúncios

A governadora do Rio Grande do Norte Fátima Bezerra (PT) participou nesta quarta-feira (23) pela primeira vez da coletiva diária que vem sendo feita pela secretaria de Estado de Saúde Pública (Sesap) para atualização da situação epidemiológica do Estado diante da pandemia. Aos 65 anos de idade, Fátima está no grupo de risco da Covid-19 e vem adotando o trabalho remoto em casa no período.

A Sesap confirmou mais 64 óbitos hoje (24), o maior número divulgado em um dia. No entanto, apenas três mortes ocorreram nas últimas 24 horas e restante registradas em datas anteriores sob investigação. Com isso, o Estado potiguar alcança a marca de 814 mortes confirmadas por Covid-19 e outras 99 seguem sendo analisadas pelos órgãos de vigilância.

De máscara, Fátima Bezerra (PT) explicou os motivos que fizeram o Governo adiar mais uma vez o início da reabertura do comércio no Estado:

“Nossa decisão foi tomada com o senso de responsabilidade, por ter clareza que o cenário exige cautela. A reabertura vai depender da evolução da pandemia, como eu já deixei claro. Nós dialogamos com todos os setores mas quem dá o tom é a ciência. Em primeiro lugar, queremos garantir a vida e a saúde do povo do Rio Grande do Norte”, disse a governadora.

Fátima reconheceu a pressão do setor produtivo pela volta das atividades econômicas, mas destacou que, antes da economia, é preciso preservar as vidas:

“Eu entendo essa pressão e aflição por parte do setor empresarial do estado pois, afinal de contas, também temos que olhar para a questão dos empregos, isso nos preocupa e muito. Mas temos que ter sabedoria e responsabilidade para não deixar se estabelecer essa dicotomia entre a vida e a economia, porque sem a vida não vai ter economia também. Por trás desses números existem pessoas, histórias de dor e sofrimento, por isso estamos tentando mitigar os impactos disso no estado”, afirmou.

A retomada das atividades de comércio e serviços estava marcada para esta quarta, contudo foi adiada para 1º de julho. A justificativa é a ocupação de leitos de UTI, que segue acima de 90% no Rio Grande do Norte:

“Não era de maneira alguma aconselhável flexibilizar essas medidas agora, sob pena de passar pelo que estão passando outros estados que fizeram a flexibilização e estão recuando porque a pandemia se agravou”, disse a governadora do Rio Grande do Norte.

Associações, federações, sindicatos e entidades ligadas a setores do comércio, transporte, hotelaria, bares e restaurantes do Rio Grande do Norte publicaram uma nota conjunta favorável a reabertura gradual do comércio nesta quarta-feira (24). O conjunto diz que “está sendo sepultado o vínculo de emprego de milhares de trabalhadores deste Estado e, consequentemente, a paz de inúmeras famílias potiguares” e ameaçou ir à Justiça para pedir a reabertura dos setores.

Sobre essa movimentação, Fátima Bezerra disse que espera que a Justiça opte por manter os decretos de isolamento.

Fátima anuncia mais 56 leitos de UTI no Estado

Dos 56 leitos de UTI anunciados, 20 serão destinados a Natal (foto: Demis Roussos)

De acordo com a governadora, o Estado já investiu R$ 100 milhões no combate ao coronavírus, a maior parte dos recursos destinados para a abertura de leitos, aquisição de materiais, medicamentos e outros insumos.  Questionada sobre a não abertura de um Hospital de Campanha Estadual, Fátima Bezerra explicou a escolha da abertura de leitos em diversas regiões, fortalecendo a rede estadual de saúde.

“Nós encontramos a rede de saúde do estado totalmente colapsada, porém, em meio a tantas dificuldades, nós conseguimos abrir muitos leitos. Nós optamos por um modelo de ter vários hospitais de campanha, para fortalecer a rede de leitos da própria Sesap e conseguimos instalar cerca de 390 leitos. Continuamos trabalhando para expandir mais leitos que ficarão como legado para a população”, disse.

Está prevista ainda a abertura de 20 novos leitos em Natal, 17 em Pau dos Ferros, 2 em Caicó, 16 em Açu e 1 em Guamaré, entre outras vagas em municípios que estão sendo articuladas junto à Sesap.

Fátima chegou a afirmar que esse é o pior momento da pandemia no Rio Grande do Norte e reforçou a necessidade do cumprimento do isolamento social no Estado. De acordo com a Sesap, o número de infectados é de 21.844 casos confirmados e a média de óbitos pelo coronavírus é de 15 a 20 por dia, observados os dados de mortes em investigação.

“Precisamos que a população compreenda cada vez mais que não tem vacina ainda para essa doença e a vacina mais potente e eficaz que nós temos é o isolamento social, isso está comprovado aqui e no mundo inteiro. Sabemos que não é fácil, pois são mais de 90 dias de medidas restritivas, mas esse é o momento que estamos perto de atravessar a fase mais aguda da pandemia e precisamos de fato nos integrar nessas ações, em um real Pacto pela Vida”, finalizou a gestora.

 

Artigo anteriorPróximo artigo
Kamila Tuenia
Jornalista potiguar em formação pela UFRN, repórter e assessora de comunicação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *