CULTURA, Principal

FlipAut! debate violência contra mulher, fake news, literatura e resistência

A programação do FlipAut! 2018 – 9º Festival Literário Alternativo de Pipa – realizado de 6 a 8 de dezembro, inclui saraus, lançamentos de livros e outras publicações, feira de livros novos e usados, apresentações culturais e bate-papos envolvendo temas como violência contra a mulher, poesia e literatura. Um dos debates, às 21h do sábado (8), terá como tema “Jornalismo e Fake News”, com as participações do editor da Agência Saiba Mais, Rafael Duarte, e o colunista Cefas Carvalho.

A novidade deste ano é o momento dedicado às apresentações cênicas, teatrais e folclóricas.

Na quinta-feira (6), às 22h, a apresentação cênica vai ficar por conta do Grupo Sostô Teatro, com a peça “Não Me Cegue”. Na sexta (7), às 19h, começa “DubididumTaratatá”, uma peça de teatro infantil será apresentada pelo grupo Comboio de Teatro, no jardim da Refugo Galeria. Às 22h, será apresentado o “Espetáculo Vaca Amarela”, com Deborah Custódio e Valéria Chaves.

O grupo folclórico dos Macambirais, de Passa e Fica/RN, realizará um desfile na rua principal de Pipa, no sábado (8), com etapas na frente dos locais parceiros e apresentação final na Praça do Pescador, encerrando as atividades do sábado, com o “Auto do Boi de Reis”.

A agência Saiba Mais conversou com o idealizador e produtor do FlipAut! Jack D’Emilia. Italiano radicado em Pipa (RN), ele destaca a autonomia do festival, que nasceu em paralelo ao festival de Pipa realizado pelo secretário municipal de Cultura de Natal Dácio Galvão, e é realizado da comunidade para a comunidade da Pipa.

Confira a entrevista:

Agência Saiba Mais: Que balanço você faz das oito edições do flipAut! ?

Jack D’Émilia: O festival literário alternativo de Pipa desde sua primeira edição foi um processo em permanente evolução. Começou em 2010 como circuito paralelo ao Flipipa, que acompanhou por alguns anos; depois emancipou-se do festival oficial e foi seguindo seu próprio caminho, fechando parceria ora com uns, ora com outros exponentes do mundo literário, poético e cultural do Rio Grande do Norte e dos estados vizinhos: Pernambuco, Paraíba, Ceará, entre outros. Cada nova edição, ao meu ver, reflete toda a experiência anterior, mais o desafio de querer propor um produto sempre atual, interessante e alternativo para o público. Ao longo dos anos, fomos conquistando um público sempre maior, que aprecia o FlipAut! pelo formato informal, mas ao mesmo tempo cheio de conteúdo de qualidade e atento às propostas e problemáticas locais como as gerais. Acho essa constante evolução do FlipAut!, que cada ano se repropõe parecido, mas diferente, alternativo, mas com todo o cuidado de fazer bonito, seja o exemplo evidente da vitalidade e do sucesso do evento.

A feira nasce como um contraponto a Flipipa, mas em razão da periodicidade acabou sendo mais importante para o município do que a própria Flipipa ?

Desde nasceu, o flipAut! sempre foi um evento cultural da comunidade para a comunidade. Seguindo o formato de outros eventos realizados na Pipa pelos produtores culturais locais (semana do meio ambiente, Cibersalão – troca de conhecimento digital – torneio de xadrez e passeio ciclístico, por citar alguns) o FlipAut! sempre teve um contato direto muito forte com a população de todas as idades da Pipa e região. A partir das atividades realizadas nas escolas, passando pelo resgate da cultura popular local, assim como da valorização dos artistas da região, percebe-se essa ligação forte que existe e se reforça cada ano mais.

O que você destacaria nesses primeiros 8 anos ?

Acho que um momento fundamental na história do flipAut! foi o que poderíamos chamar de a emancipação do festival alternativo, que em 2013 deixou de ser um circuito paralelo do festival oficial e se tornou um evento cultural por si próprio; acontecendo também quando o Flipipa deixou de ser realizado, e marcando uma data diferente, quando o outro voltou a ser realizado, em algumas ocasiões. Em 2013, os produtores culturais locais apoiaram a criação da secretaria municipal de Cultura de Tibau do Sul, e desde então a Secretaria foi apoiando o FlipAut! com um espirito colaborativo muito positivo. Prefeitos e secretários foram subseguindo-se, mas o apoio e patrocínio continua o mesmo. Desde 2013, o FlipAut! ganhou a Praça do Pescador como sede do evento e começamos a realizar a Feira de Livros Novos & Usados, este ano em sua 6ª edição. Acho que essa evolução do evento marcou uma maturidade alcançada e reconhecida.

Como é o processo de curadoria, quando você começa a pensar a Flipaut ?

Considerando que há anos estabelecemos o início de dezembro como data de realização do festival literário, em meados de agosto acontece uma primeira reunião informal do grupo de coordenação do evento. A partir disso, a gente divulga uma convocatória geral nas redes sociais para todos os interessados apresentarem suas propostas. Ao mesmo tempo, começa um processo de garimpagem no mundo da cultura à procura de atividades interessantes para ser inseridas na programação. Contamos com a colaboração de ditos “articuladores” culturais, que ficam pesquisando novidades no campo literário, e cultural em geral, de cunho independente e alternativo e nos apresentam o que de melhor está acontecendo. Fundamentalmente, é isso. Processo de parceria com a comunidade.

Fale um pouco sobre o processo de parceria com a própria comunidade de Pipa

A comunidade gosta do FlipAut!, apoia o evento e participa ativamente da produção cultural. O festival literário alternativo da Pipa é uma produção cultural colaborativa sem fins lucrativos. Os membros da produção cultural são todos voluntários que se dedicam com paixão à realização do evento. Alguns colaboradores são os mesmos desde a primeira edição, outros foram chegando com o passar do tempo e se harmonizando no grande esforço coletivo que dá vida cada ano a uma nova montagem do festival.

O que você destacaria na edição deste ano ?

O maior destaque desta edição talvez seja a proposta de substituir a habitual série de apresentações musicais, locais ou convidadas, que geralmente encerram as atividades na praça, por outras de cunho teatral, ou folclórico. A necessidade nasceu da vontade de diferenciar-se de um festival todo musical que acontece logo na semana seguinte ao evento literário. Procuramos, então, selecionar algumas boas peças de teatro de novas companhias de teatro do Rio Grande do Norte, assim como escolher um grupo folclórico com décadas de tradição para um desfile cultural pela rua principal da Pipa. Terá também uma bela peça de teatro para o público infantil do FlipAut!

Veja programação completa da FlipAut! 2018:

QUINTA, 6

18h15 Performance “O Som das Palavras”
Coordenação: Espaço Tantra

18h30 Abertura oficial do festival literário

19h “Estação do Cordel em Atividade”
com Tonha Mota e convidados

20h “O Mundo, os Mitos e a Amazônia”
na visão de Regina Melo

21h “Mobilidade da literatura e autopublicação coletiva”
com Themis Lima, Claudia Gazola e Natalia Mont

22h “Não Me Cegue”
Apresentação cênica do Grupo Sostô Teatro

SEXTA, 7

18h Sarau Poético Aberto

18h45 Entrega dos troféus do
8º Torneio de Xadrez “Praia da Pipa”

19h “Violência Doméstica contra a Mulher:
da invisibilidade à luta pela superação”
com Vani Fragosa

20h “Um Poeta Bissexto”
com João Batista Morais Neto e Oreny Junior

21h “Meio-dia: amor, resistência e memória”
com Thiago Medeiros e convidados

22h “Espetáculo Vaca Amarela”
Apresentação cênica de
Deborah Custódio e Valéria Chaves

SÁBADO, 8

18h Especial Leitura Na Praça
Atividades lúdico-educativas para o
público infantil do festival literário

19h “O Mundo Mágico dos Youtubers”
com André Renan, Bruno Gomes e
os alunos dos projetos CEPlay e LEIAÍ

20h “Cartografias e Roteiristas na Praia da
Pipa nos Séculos XVI e XVII”
com Francisco Fernandes Marinho e Abimael Silva

21h “Jornalismo e Fake News”
com Rafael Duarte e Cefas Carvalho

22h “Auto do Boi de Reis”
Apresentação cênica do Grupo Folclórico Macambirais
de Passa e Fica/RN

FEIRA DE LIVROS

Todos os dias das 17h30 às 23h
Praça do Pescador – Pipa

Editora Sebo Vermelho
Sebo Cata Livro
Cooperativa Cultura
Biblioteca Itinerante
Seburubu
Estação do Cordel
Sebo Virtual Letra N’Ativa
Book Shop Pipa
IFRN Campus Canguaretama
Sebo & Selo Curió Gajeiro
Editora Castanha Mecânica
Sebo Zahir
Insurgências Poéticas
Sebo Rasta
Espaço Leitura na Praça

EXPOSIÇÕES

Refugo Galeria
Exposição fotográfica
“Natureza criativa” de Pry Lins

Pizzaria Calígula
Exposição de pintura
“Longas Primaveras” de Ambrosio Santana

Pizzaria Pipa Brasil
Exposição de pintura
“O canavial” de Lenilson Teimoso

Hostel Alumbrado
“36 poemas do amor e do ódio”
Exposição de poesia visual de Falves Silva

Vila Mangueira
“Pelo Pescoço”
Exposição de Daniel Torres

Galeria Manchas em Movimento
Exposição permanente
de Jorge Silva Santos

A dois Comida & Arte
Exposição permanente
de Demetrius Montenegro

Ateliê Juliano Holanda
Exposição permanente

OUTRAS ATIVIDADES

Quinta, 6 de dezembro

20h Live Painting
com Juliano Holanda, na Praça do Pescador

23h Sarau de Resistência Poética
no Hostel Alumbrado

Sexta, 7 de dezembro

19h DubididumTaratatá
Apresentação cênica para público infantil
do Grupo Comboio do Teatro
na Refugo Galeria

20h Pintura ao vivo
com Demetrius Montenegro
no A dois – Comida & Arte

23h Sarau Memórias do Mar
com Thiago Medeiros
no Hostel Alumbrado

Sábado, 8 de dezembro

8h Oficina de Xilogravura,
com Erick Lima, na Refugo Galeria

15h30 Roda de conversa: “Grupos de Leitura,
uma proposta alternativa de resistência,
experimentação e disseminação literária”
com Literatopia Natal, Leia Mulheres Natal,
Doses de Filosofia e Glitteratura.
Concentração na Praça do Pescador e
descida do grupo à praia

20h Feira de Troca de Fotos
com Michelle Rolim e convidados
Arvore do flipAut! – Praça do Pescador

20h Desfile na rua principal de Pipa
do Grupo Folclórico Macambirais
de Passa e Fica/RN

23h Sarau de Poesia Erótica
no Hostel Alumbrado

 

Serviço | FlipAut! 2018

9º festival literário alternativo da Pipa
6 a 8 de dezembro, na Praça do Pescador – Pipa/RN + Circuito cultural
Contato: [email protected]
Informações: flipaut.blogspot.com

Artigo anteriorPróximo artigo
Isabela Santos
Isabela Santos é jornalista e repórter da agência Saiba Mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *