CIDADANIA

Governador decreta intervenção militar na área de segurança pública do Estado

A segurança pública do Rio Grande do Norte está oficialmente sob o controle do general de brigada Adauto Lúcio Fernandes. Em decreto publicado neste sábado (30), o governador Robinson Faria transferiu para o militar o controle operacional dos órgãos de Segurança Pública do Estado. Fernandes será o comandante das Forças Armadas, segundo o decreto, “para a garantia da lei e da ordem nas regiões metropolitanas de Natal e no município de Mossoró”. A intervenção segue pelo menos até 12 de janeiro.

A medida extrema é consequência da greve dos policiais militares, civis e do Corpo de Bombeiros, que cobram o pagamento dos salários atrasados. O Governo ainda não conseguiu concluir a folha de novembro e não tem perspectiva para pagar os salários dezembro nem o 13º salário. Só estão recebendo em dia os servidores da Educação, em razão do repasse federal do Fundeb, e dos órgãos que possuem caixa próprio, a exemplo do Detran, Caern e Idema.

O Ministério da Defesa anunciou o envio de 2 mil soldados do Exército para garantir a segurança da população enquanto a paralisação dos policiais continuar. Parte do efetivo extra começou as patrulhas na sexta-feira (29). Vários assaltos, arrombamentos e saques à estabelecimentos foram registrados nos últimos dias. A secretaria de Segurança Pública confirmou mais de 500 ocorrências somente na região Metropolitana de Natal a partir do início da greve dos policiais, em 19 de dezembro.

A violência também vem assustando turistas nas praias dos litorais norte e sul do Estado. Há praias com placas avisando os visitantes sobre os perigos de assaltos em determinadas áreas.

 

 

Artigo anteriorPróximo artigo
Rafael Duarte
Jornalista e autor da biografia "O homem da Feiticeira: A história de Carlos Alexandre"