+ Notícias, Principal

Governador do RN nomeado pela ditadura militar, Lavoisier Maia morre aos 93 anos em Natal

Vítima de uma Sepse (generalizada), resposta do organismo a uma infecção, ex-governador do Rio Grande do Norte, Lavoisier Maia Sobrinho, morreu nesta segunda (11) aos 93 anos, em sua residência em Natal.

Lavoisier era médico e professor da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN). Ele foi o 44º governador do estado e exerceu o mandato no período de 15 de março de 1979 a 14 de maio de 1982. Lavoisier também foi senador, deputado federal por dois mandatos e deputado estadual. Além da esposa, o ex-governador deixa órfãos 4 filhos: Ana Cristina, Márcia, Lauro e Cintia Maia, 13 netos e 3 bisnetos. Lavoisier completou 93 anos nesse último sábado (9).

Lavô, como era mais conhecido, nasceu em Almino Afonso (RN). Fez medicina na Universidade Federal da Bahia, de onde voltou ao RN e seguiu carreira e, também, foi professor da Universidade Federal do Rio Grande do Norte, onde chegou a ser diretor da Maternidade Escola Januário Cicco.

Iniciou carreira pública como Secretário estadual de Saúde, no governo de Tarcísio Maia – de quem era primo. Em partidos políticos, esteve sempre ligado aos que seguiram a antiga ARENA, PDS e depois PFL. Por último, foi filiado ao PSB. Entre 1979 e 1982 foi governador do RN e apoiou o seu sucessor, José Agripino.

Vida Política

Nas eleições de 1998, Lavô foi eleito deputado federal pelo PFL e em 2002, ficou na primeira suplência – foi efetivado na vaga quando o então deputado federal, Iberê Ferreira foi eleito vice-governador na chapa com Wilma de Faria (com quem Lavoisier foi casado e teve quatro filhos). Em 2006, participou de sua última eleição e ocupou a cadeira de deputado estadual pelo PSB, com apoio da ex-mulher e então governadora do RN, Wilma de Faria.

Durante o governo de Tarcísio Maia, de quem era primo, Lavô foi secretário estadual de Saúde e presidente da Comissão de Fiscalização Estadual de Entorpecentes do Ministério da Saúde. Nesse mesmo período foi secretário de Justiça e indicado governador pelo Arena, partido da Ditadura Militar, em 1978, pelo presidente Ernesto Geisel.

Geisel, também nomeou o primo de Lavoisier, José Agripino Maia, como prefeito de Natal. Com o fim da Arena, Lavoisier entrou para o PDS. Nas eleições de 1982, elegeu José Agripino Maia como seu sucessor e, após deixar o governo, foi nomeado assessor do Ministério da Saúde no RN. Lavoisier apoiou Paulo Maluf na sucessão presidencial indireta de 1985 e, em 1986, foi eleito senador pelo PDT.

Governadores indicados pela ditadura no RN

Walfrego Gurgel, eleito em 1965, permaneceu no cargo até 1970, quando os militares indicaram Cortez Pereira para assumir o posto de governador. Em 1974, foi a vez de Tarcísio Maia assumir do governo do Estado. Em 1978, o presidente Ernesto Geisel indica Lavoisier Maia como governador do Rio Grande do Norte e no ano de 1982, Agripino Maia, filho de Tarcísio, assume o posto, também indicado pela Arena, partido que representava os militares na época da ditadura.

Velório

O velório do ex-governador do Rio Grande do Norte, Lavoisier Maia Sobrinho, será realizado na Catedral Metropolitana de Natal a partir das 20h horas desta segunda-feira (11). Às 9h30 da terça (12), uma missa será celebrada ainda no local e, então, seguido pelo sepultamento previsto para as 11h30 no Morada da Paz, em Emaús.

Clique para ajudar a Agência Saiba Mais Clique para ajudar a Agência Saiba Mais
Artigo anteriorPróximo artigo