DEMOCRACIA

Governo do RN define com gestores municipais detalhes para início da vacinação ainda em janeiro

A governadora do Rio Grande do Norte Fátima Bezerra (PT) se reuniu nesta sexta-feira (8) com prefeitos e secretários de saúde dos municípios potiguares para discutir e planejar a imunização contra covid-10.

A previsão é que o estado receba as primeiras doses até 31 de janeiro, mas a vacinação depende do envio dos imunizantes por parte do Ministério da Saúde, segundo com o plano nacional de imunização. “Precisamos que a vacina chegue. Essa é a nossa luta”, disse a gestora.

De acordo com o secretário estadual de saúde, Cipriano Maia, após a chegada da vacina, o estado começará a vacinar em até 72 horas. A distribuição será responsabilidade da Secretaria de Estado da Saúde Pública – Sesap/RN e a aplicação, dos municípios.

O encontro foi realizado um dia após o governo federal anunciar assinatura de contrato com o Instituto Butantan para adquirir até 100 milhões de doses da vacina CoronaVac, produzidas pelo órgão em parceria com a farmacêutica chinesa Sinovac. O pedido de uso emergencial foi apresentado à Anvisa nesta sexta (8).

“Até o final desse mês as vacinas começarão a ser distribuídas para os estados. O Rio Grande do Norte foi o primeiro a fazer seu plano estadual“, lembrou Fátima.

O Governo do RN anunciou que tem 900 mil seringas em estoque, o que representa quase o dobro necessário para a primeira fase da vacinação, que abrangerá os grupos prioritários. Outras 2,5 milhões estão sendo adquiridas para as fases posteriores, conforme consta no Plano de Vacinação Estadual.

Novas câmaras frias também estão em fase de aquisição, de acordo com o Governo, para garantir que a demanda seja suprida. Além disso, a frota de veículos para fazer o transporte das vacinas e equipamentos de saúde também teve incremento.

Para a primeira fase no RN, está prevista a aplicação de 239.636 doses da vacina, sendo 79.638 em profissionais de saúde, 133.621 em idosos com 75 anos ou mais, 2 mil para idosos em instituições e abrigos, 2.447 em indígenas e 18.310 para os quilombolas.

Também fazem parte de grupos prioritários população em situação de rua, pessoas com comorbidades (como diabetes mellitus; hipertensão arterial grave – difícil controle ou com lesão de órgão alvo; doença pulmonar obstrutiva crônica; doença renal; doenças cardiovasculares e cérebro vasculares), trabalhadores da educação, pessoas com deficiência permanente severa, membros das forças de segurança e salvamento, funcionários do sistema de privação de liberdade e população privada de liberdade, além de trabalhadores do transporte coletivo e transportadores rodoviários de carga.

A governadora aproveitou a ocasião diante dos gestores e da imprensa para prestar contas da atuação do governo no combate ao novo coronavírus. O RN investiu R$ 201 milhões na abertura de leitos permanentes, contratação de profissionais da saúde e ampliação da política de testagem em todos os municípios, com mais de 250 mil pessoas testadas.

“Estamos entre os estados mais bem avaliados no tocante à transparência. Dispomos, em parceria com a UFRN, através do LAIS, do Regula RN. Essa é mais uma das importantes conquistas que ficará para o SUS do Rio Grande do Norte, pela transparência que ele traz, pela seriedade, equidade. Ele interdita toda e qualquer tentativa daquelas famosas fura-filas de leitos hospitalares”, destacou.

Fátima pede suspensão de eventos com aglomerações

Fátima Bezerra pediu que as Prefeituras suspendam eventos que possam gerar aglomerações, lembrando que a pandemia não acabou e a atenção aos protocolos sanitários deve ser redobrada nesta fase pré-vacina.

“Eu não posso entrar na competência jurisdicional de vocês, dos municípios, agora posso e devo fazer um apelo para que os municípios do meu estado sigam as recomendações dos Ministério Públicos suspendendo os eventos, endurecendo as medidas nesse momento”, disse a governadora, ao citar a necessidade de continuar o distanciamento social, o uso de máscara e álcool.

“O Carnaval foi suspenso. E daí? Carnaval tem todo ano, Réveillon tem todo ano, Natal tem todo ano. A vida é que se ela se for não tem mais não, porque não tem volta. Então, meus amigos, eu faço esse reforço, porque eu tenho não só fé, mas tenho muita esperança que de mãos dadas vamos superar mais esse momento”, alertou.

 

 

 

Artigo anteriorPróximo artigo
Isabela Santos
Isabela Santos é jornalista e repórter da agência Saiba Mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *