DEMOCRACIA

Governo Fátima renova decreto de calamidade pública em razão da crise sanitária e efeitos financeiros provocados pela Covid-19  

A crise sanitária e os efeitos financeiros para o Rio Grande do Norte provocados pela pandemia do novo coronavírus foram as justificativas apresentadas pelo Governo do RN para renovar o decreto que estabelece “estado de calamidade pública” em todo o território potiguar.

O novo decreto foi publicado na edição desta quarta-feira (12) do Diário Oficial do Estado e vem assinado pela governadora Fátima Bezerra, o chefe da Casa Civil Raimundo Alves e pelo secretário de Estado de Saúde Pública Cipriano Maia.

 – A referida crise impôs o aumento de gastos públicos e o estabelecimento das medidas de enfrentamento da emergência de saúde pública de importância internacional decorrente da pandemia”, diz um trecho do documento.

A Constituição estadual do Rio Grande do Norte prevê, em casos de calamidade pública, a abertura de crédito extraordinário para atender a despesas imprevisíveis e urgentes.

Ocupação de leitos 

A taxa de ocupação geral de leitos críticos por pacientes diagnosticados com Covid-19 até 11h21 de hoje era de 29,29%. Outros 13,57% dos leitos de UTI também estavam ocupados, mas por pacientes com outras doenças. O pior índice é o da região Metropolitana de Natal, com 35,8% de ocupação registrada.

Apenas dois hospitais no Estado estão com 100% dos leitos ocupados: o Maria Alice Fernandes, em Natal, e a unidade de João Câmara.

Clique para ajudar a Agência Saiba Mais Clique para ajudar a Agência Saiba Mais
Artigo anteriorPróximo artigo
Jornalista e autor da biografia "O homem da Feiticeira: A história de Carlos Alexandre"