DEMOCRACIA

Grupo de WhatsApp “Opressores RN 17” será investigado pelo MP Eleitoral

Uma conversa virtual entre apoiadores de Bolsonaro em que há ameaças de morte, estupros e outros tipos de violência a eleitores contrários, através da possível organização de um grupo armado, serão analisadas pelo Ministério Público Eleitoral. Imagens do grupo “Opressores RN 17” viralizaram durante esta semana.

A imagem usada na identificação do grupo é a do PSL, sigla pela qual o candidato concorre à Presidência. A conversa teria acontecido dia 8 de outubro entre homens identificados como “Eduardo líder”, Alecson, Jader Júnior e outros dois perfis onde constam “Deus acima de tudo” (slogan da campanha de Bolsonaro) e “17 porra”.

Após analisar os indícios de veracidade, ou não, a Procuradoria Regional Eleitoral deverá decidir sobre a remessa do caso ao promotor eleitoral competente, se for o caso de apuração de possível crime do artigo 301 do Código Eleitoral (Usar de violência ou grave ameaça para coagir alguém a votar, ou não votar, em determinado candidato ou partido, ainda que os fins visados não sejam conseguidos).

Por outro lado, na hipótese de se tratar de propaganda falsa (grupo fake), com intuito de promover publicidade negativa de candidato, o procedimento será encaminhado para algum dos procuradores auxiliares eleitorais.

Clique para ajudar a Agência Saiba Mais Clique para ajudar a Agência Saiba Mais
Artigo anteriorPróximo artigo
Isabela Santos
Isabela Santos é jornalista e repórter da agência Saiba Mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *