CIDADANIA

Homofobia: Casal de mulheres sofre agressão verbal em restaurante de Ponta Negra no Dia dos Namorados

Era noite do Dia dos Namorados e a estudante de Engenharia Civil Cybelle Medeiros, 25, levou a namorada, Anna Clarice, 22, estudante de serviço social, para jantar em um restaurante de Ponta Negra, em Natal. O lugar escolhido foi o Nossa Massa, avaliado com cinco estrelas no Google e descrito como “um restaurante de pizzas seletas, ingredientes especiais com sushi contemporâneo, em espaço acolhedor e elegante com vinhos”. É preciso reservar uma mesa com antecedência para ter acesso ao local.

As duas universitárias chegaram ao restaurante por volta das 21h30 da noite de sábado, 12. Meia hora depois, aproximadamente, entra um casal, formado por um homem e um mulher, e ocupa uma mesa próxima a das duas jovens. O novos clientes estão visivelmente embriagados, relata Cybelle e o homem começa a murmurar insultos para os casais homoafetivos presentes no local.

“Quando eu peguei na mão da minha namorada, ele começou. ‘homem é homem e mulher é mulher. Homem é para estar com mulher e mulher com homem. Esse negócio de homossexualismo é coisa do demônio. É por isso que eu apoio o Bolsonaro (presidente da República Jair Bolsonaro (sem partido)’”, conta, explicando que havia escolhido o restaurante justamente por ter visto em avaliações que ele seria “amigável” para pessoas LGBT.

Havia ainda um casal de dois homens em outra mesa que sinalizavam para que a estudante mantivesse a calma. Mas ela não se conteve e respondeu aos insultos.

“Quando peguei na mão da minha namorada, ele falou ‘sapatão’. Eu levantei e perguntei qual era o problema e disse que homofobia é crime”, relembra.

Juntas há quase dois anos, Cybelle e Clarice decidiram comemorar o Dia dos Namorados em um restaurante quando foram agredidas verbalmente por outro cliente do lugar. Foto: Arquivo Pessoal

De acordo com o relato da estudante, funcionários do restaurante ainda tentaram tirar o homem do local, mas ele se recusava a sair. Chegou, inclusive, a fazer ameaças enquanto uma mulher não identificava pedia a ele que se retirasse. A esposa dele tentava levá-lo, mas o homem insistia em continuar no lugar e continuava a consumir produtos.

Ela reclama que não recebeu apoio dos donos do estabelecimento. Com o transtorno, as duas  resolveram adiantar a saída, pagaram a conta e pediram um carro por aplicativo, mas o veículo demorou a chegar.

“Minha namorada ficou muito nervosa, chorava bastante e ele continuava balbuciando e nós pedindo que tirassem aquele homem dali”, reconstitui. Enquanto isso, o homem ameaçava funcionários do restaurante dizendo que “o pessoal dele já chegaria no lugar atirando”.

Finalmente, quando ele saiu do restaurante, o homem posteriormente identificado como empresário, voltou a gritar com as duas estudantes, relata Cybelle.

Durante toda a situação, as duas ligaram diversas para a polícia e não foram atendidas. Elas

“Ele voltou a gritar ‘essa raça de sapatão! Bolsonaro, Bolsonaro, Bolsonaro!’, fazendo arminha com a mão”, e foi embora. Quando ele saiu, consegui o nome dele que como Antonio Montenegro. Depois, vi que nas redes sociais ele usa Cid Montenegro. Que, aliás, é ex-assessor de Garibaldi (ex-governador do Rio Grande do Norte e ex-senador da república pelo MDB, Garibaldi Alves Filho), Conselheiro do Flamengo, do ABC, influente, rico, etc”, afirma.

Erramos: Inicialmente, a matéria havia sido divulgada apresentando somente a fala da estudante afirmando que o autor das agressões seria conselheiro do ABC Futebol Clube. Contudo, a diretoria do clube nega o vínculo de Cid Montenegro com o time.

Cybelle procurou um advogado e registrou boletim de ocorrência sobre o ocorrido nesta terça-feira, 16.

A Saiba Mais buscou contato com o restaurante Nossa Massa por meio do telefone disponibilizado pelo estabelecimento, mas não obteve resposta.

Entidades estudantes lançaram notas de apoio às estudantes.

O Diretório Central de Estudantes Romana Barros, da Ufersa, entidade que Cybelle participa como coordenadora, relaciona o comportamento do homem assumidamente bolsonarista ao próprio Governo Federal, indicando que o atual presidente da república permite que os seguidores dele sintam-se seguros para cometer agressões como a enfrentada pelas duas estudantes.

“Cid Montenegro (@montenegrocid) que já foi assessor de Garibaldi Alves, representa todo o projeto político assassino que vem retirando os direitos da classe trabalhadora, da população LGBTQIA+, das mulheres, indígenas e dos negros. Não bastam termos que enterrar, diariamente, familiares, amigos e colegas devido à pandemia. Eles querem que continuemos enterrando milhares dos nossos por serem o que são: trabalhadores, LGBTQIA+”, afirma a nota.

O perfil do Instagram da Ufersa Campus Angicos também manifestou solidariedade às duas jovens. “Lgbtfobia é crime equiparado ao de racismo. Todo nosso amor e solidariedade à nossa aluna e sua namorada”.

 

Clique para ajudar a Agência Saiba Mais Clique para ajudar a Agência Saiba Mais
Artigo anteriorPróximo artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *