CIDADANIA

Idosos receberão as 51 mil doses da Coronavac enviadas ao RN e aqueles acamados poderão ser vacinados em casa

O novo lote com 51.800 doses de Coronavac que serão enviadas pelo Ministério da Saúde neste fim de semana para o Rio Grande do Norte terá como grupo prioritário os idosos acamados com mais de 75 anos e aqueles que têm mais de 95, de acordo com a Secretaria Estadual de Saúde Pública (Sesap).

Os idosos que se encontram acamados poderão ser vacinados em casa. O sistema de cadastramento já está disponível e vale para as pessoas que permanecem acamadas por períodos curtos ou longos, independente do motivo, e que necessitam da ajuda de um cuidador nas atividades diárias e possuem 60 anos ou mais.

O sistema foi desenvolvido através de uma ação conjunta entre a UFRN, por meio do laboratório de Inovação Tecnológica em Saúde (LAIS) e do Instituto Envelhecer, e a Secretaria Municipal de Saúde de Natal. A proposta é fazer a vacinação dos idosos com a menor exposição possível à covid-19. Ao acessar o link, o responsável pelo idoso, deve primeiramente realizar o seu cadastro para que em seguida possa informar as seguintes informações da pessoa idosa: CPF, endereço completo, doença de base que levou à pessoa a ficar acamada, comorbidades e também os cuidadores. As informações serão utilizadas pelas equipes de saúde na gestão dos atendimentos e planejamento das rotas de vacinação.

Clique aqui para fazer o cadastramento.

2ª dose

Já a 2ª dose das vacinas de Oxford e da Coronavac serão aplicadas nos dias 10 e 17 de fevereiro, segundo a Sesap. Os imunizantes serão encaminhados aos municípios pela Secretaria nos dias oito e nove de fevereiro.

Para garantir a aplicação da 2ª dose é preciso que as pessoas compareçam ao mesmo local onde foram vacinadas com a 1ª dose, levando cartão de vacinação e documento oficial com foto. O espaço entre a primeira e a segunda dose deve ser de 21 a 28 dias.

“A gente reforça que mesmo depois da segunda dose as pessoas devem manter todos os cuidados e medidas de prevenção ao novo coronavírus com utilização de máscara, lavagem das mãos e distanciamento social”, pede Kelly Maia, coordenadora de vigilância em saúde da Sesap.

 

Clique para ajudar a Agência Saiba Mais Clique para ajudar a Agência Saiba Mais
Artigo anteriorPróximo artigo