DEMOCRACIA

IFRN sofre intervenção e MEC nomeia bolsonarista que não participou da eleição para reitor

O governo Bolsonaro nomeou nesta segunda-feira (20) para a reitoria do Instituto Federal do Rio Grande do Norte um professor que sequer participou da eleição para o carto, realizada em 2019. O “novo” reitor “pro-tempore” é o professor Josué de Oliveira Moreira, recém-filiado ao PSL e ex-candidato a prefeito de Mossoró.

Moreira tem o apoio do deputado federal general Girão (PSL), principal nome do bolsonarismo no Estado potiguar.

A nomeação foi publicada no Diário Oficial da União (DOE) com assinatura do ministro da Educação Abraham Weintraub

O vencedor das eleições em dezembro de 2019 foi o professor José Arnóbio de Araújo. Ele obteve 48,25% dos votos contra 42,26% de Wyllys Farkkat Tabosa, atual reitor da instituição. Outros dois professores participaram do processo eleitoral: Ambrósio Silva de Araújo e José Ribeiro de Souza Filho.

A nomeação de Josué e Oliveira Moreira é um golpe do governo Bolsonaro no processo democrático dos Institutos Federais.

Há outros estados onde foi nomeada a figura do reitor pro tempore. Mato Grosso do Sul (IFMS) é um deles.

Clique para ajudar a Agência Saiba Mais Clique para ajudar a Agência Saiba Mais
Artigo anteriorPróximo artigo
Rafael Duarte
Jornalista e autor da biografia "O homem da Feiticeira: A história de Carlos Alexandre"

3 Comments

  1. É o novo tempo da mordaça!
    A frente direitista, pela ação de Weintraub, fará de tudo para minar quem tiver senso crítico.
    Mas nasci junto a outro golpe, em 1974 e vejo um problema muito mais sombrio.
    O atual golpe nasceu misturando o legítimo combate à corrupção, ou ao tráfico, com a ilegitimidade da homofobia, ou “pobrefobia”, passou pela prisão sem provas de Lula, pela igual derrubada de Dilma, mas surpreendentemente, esse governo foi eleito democraticamente.
    Não acredito nisso, mas essa tática de jogar coisas boas e ruins no liquidificador fez com que a maioria do povo, tendesse a odiar a esquerda e todos que pensem diferente.
    Mas o liquidificador segue espalhando “misturas”, que certas ou erradas, existem em qualquer lugar com muita gente, ou “pobres”.
    Dizem que no IFRN tem muita droga, o que sempre foi muito combatido por Professor Arnóbio, mas lembrem que é um ventilador, então também jogam homofobia, deixando o ar carregado, pois as outras coisas também estão lá, então, alguns escolhem não respirar.
    Juntando esse ambiente à pandemia do Coronavírus, que matou 40 mil pessoas nos Estados Unidos em um mês, espero que também não joguem isso no ventilador.

  2. Atos próprios de ditadores. O presidente está achando que o Brasil é a casa dele e só trabalha nela quem ele quer e os que lhe são totalmente submissos. Estamos vivendo um tempo de risco sério à democracia no Brasil.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *