OPINIÃO

Jaime Lerner e a revitalização da Ribeira

No dia 27 de maio faleceu Jaime Lerner aos 83 anos. O famoso urbanista foi governador do Paraná e prefeito de Curitiba. Ao longo de sua trajetória política, foi responsável por obras que marcaram o cenário urbano da capital paranaense, seja na área de mobilidade, planejamento urbano e meio ambiente.

Devido o reconhecimento do seu trabalho em Curitiba, Lerner se credenciou profissionalmente para atuar em projetos urbanísticos em importantes cidades como São Paulo, Porto Alegre, Rio de Janeiro e Goiânia.

Por outro lado, o ex-governador do Paraná também era conhecido pelo seu perfil elitista. Ao ponto que, foi escolhido em 2017 pelo então prefeito de São Paulo, João Dória, para atuar em um projeto higienista na Cracolândia. Em resumo, a ideia era remover os dependentes químicos, demolir construções históricas e beneficiar a especulação imobiliária.

Da mesma forma, atuou no Recife no final da década de 70 em um polêmico projeto no carente bairro de Brasília Teimosa. O plano de Jaime Lerner consistia em transferir milhares de famílias de uma região bem localizada para a periferia da cidade. A ideia era que o espaço fosse utilizado na construção de hotéis, bares, restaurantes, marinas e áreas de lazer de alto padrão. A proposta não foi adiante graças a resistência da comunidade.

O urbanista esteve algumas vezes no Rio Grande do Norte. Em uma delas, participou em 1980 de seminário organizado pela UFRN. O prefeito de Curitiba debateu com os então prefeitos biônicos de Natal e Recife que eram José Agripino e Gustavo Krause, respectivamente. Os três políticos do PDS, partido que davam sustentação a Ditadura Militar, dialogaram sobre desenvolvimento urbano.

Outra visita importante ocorreu em 1987 quando Jaime Lerner foi contratado pelo poder público potiguar para projetar o traçado da BR 101 entre Natal e Touros. Na mesma ocasião, foi encomendado um planejamento urbanístico para Natal. Dentre as localidades contempladas, constava a revitalização da Ribeira.

Ao contrário do que se imagina, a decadência da Ribeira não é um assunto recente. Os jornais de Natal já descreviam a degradação do bairro ainda no início da década de 70. Ao longo dos anos, sempre se discutiu a importância de se revitalizar a área. Em maio de 1981, o Diário de Natal descreveu o local como “um aglomerado de velhas edificações subocupadas”.

A missão de Jaime Lerner de transformar a já decadente Ribeira não se concretizou, visto que não houve continuidade no projeto. O badalado urbanista morreu em 2021 e deixou um grande legado. Entretanto, foi mais um que tentou sem sucesso resgatar o velho bairro boêmio de Natal. Porém, a tentativa fracassada pode ser interpretada como um alívio. A Ribeira velha de guerra não vivenciou as terríveis experiências da Cracolândia de São Paulo e de Brasília Teimosa no Recife.

 

Clique para ajudar a Agência Saiba Mais Clique para ajudar a Agência Saiba Mais
Artigo anteriorPróximo artigo