DEMOCRACIA

Jornalista que denunciou “Dia do Fogo” na Amazônia é ameaçado no Pará

Anúncios

O jornalista Adécio Piran, proprietário do jornal Folha do Progresso, vem recebendo ameaças depois que o veículo dele revelou o “Dia do Fogo”, ação criminosa praticada por produtores rurais da região contra a floresta Amazônica. O jornal circula em Novo Progresso, município localizado no sudoeste do Pará. A notícia, no entanto, teve repercussão nacional e internacional.

Na quarta-feira (28), Adécio Piran foi alvo de ameaças, nas redes sociais, com a postagem de um folheto que foi distribuído na cidade de Novo Progresso, onde é exibida a sua foto com um texto que o acusa de ser estelionatário e responsável por incêndio criminoso.

O Sindicato dos Jornalistas do Estado do Pará (Sinjor-PA) e a Federação Nacional dos Jornalistas (FENAJ) divulgaram nota em que manifestaram repúdio e indignação diante das ameaças contra o jornalista.

Anúncios

Na nota, a Fenaj e o Sinjor-PA afirmam que, segundo o jornalista, os anunciantes do jornal Folha do Progresso estão sendo ameaçados e coagidos a retirar o apoio ao periódico, que está em circulação há 20 anos.

Adécio Piran registrou Boletim de Ocorrência (BO) na Unidade da Polícia Civil da cidade.

– O Sinjor-PA e a FENAJ repudiam mais um atentado contra o exercício do jornalismo, da liberdade de imprensa e de expressão. As entidades também pedem providências ao Governo do Estado do Pará e seus órgãos de Segurança Pública para garantir a integridade física e os direitos do jornalista Adécio Piran e que sejam identificados e punidos os autores das ameaças”, diz o comunicado assinado em conjunto pelas duas entidades.

Panfleto apócrifo está circulando na cidade de Novo Progresso
Anúncios
Artigo anteriorPróximo artigo
Rafael Duarte
Jornalista e autor da biografia "O homem da Feiticeira: A história de Carlos Alexandre"

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *