Principal

Jovem com “suspeita de coronavírus” recebe ameaças: “Não afirmei estar com a doença”

Anúncios

Os potiguares foram surpreendidos na quinta-feira (14)  com a notícia da possibilidade de um caso inédito de Coronavírus em Natal. O jovem Gustavo Henrique da Silva foi encaminhado ao Hospital Giselda Trigueiro após uma de suas consultas mensais de rotina, realizadas no Hospital do Coração em decorrência de um diagnóstico de Leucemia Mielóide Crônica.

De acordo com Gustavo, ele realiza tratamento com medicação e vai ao hospital uma vez por mês para fazer acompanhamento e pegar os remédios. Na última consulta, realizada na quarta-feira (12) ele relatou ao Hematologista sintomas de gripe, teve sangramento nasal e, em Pipa, manteve contato com estrangeiros.

“Eu não afirmei em nenhum momento que tinha a doença nem o médico que me encaminhou ao Giselda. Ele só disse que eu precisava procurar a unidade para averiguar os sintomas. De forma alguma eu quis causar pânico ou disseminar falsas informações, muito menos agir de má fé”, explica Gustavo da Silva, em entrevista a Agência Saiba Mais.

Na manhã desta sexta-feira (14) o caso foi descartado após investigação da equipe médica da unidade hospitalar à qual o paciente foi encaminhado. Além disso, a Secretaria de Turismo verificou junto à Polícia Federal que nenhuma pessoa vindo da China entrou no RN nos meses de dezembro de 2019 ou janeiro de 2020.

Dados de hospedagem também foram verificados na tentativa de encontrar algum morador de Wuhan em terras potiguares. Ninguém foi localizado.

Gustavo contou que esteve em Pipa, litoral sul do Estado,  de 20 a 23 de janeiro, e que esteve em contato com turistas argentinos, alemães e chineses. O jovem afirmou que um tradutor desses turistas chegou a comentar que eles eram da cidade epicentro do vírus, além de terem aparência ‘chinesa’. O jovem segue em observação no Giselda Trigueiro, porém fora da área de isolamento, já que foi diagnosticado com problemas respiratórios comuns. O estudante disponibilizou os documentos médicos que atestam o laudo de sua condição de saúde como portador de Leucemia e o encaminhamento dado pelo médico – que teve seu nome preservado para evitar constrangimentos – ao Giselda.

Anúncios

 

 

Mesmo depois do descarte da possibilidade do Coronavírus, Gustavo disse que tem recebido diversas ameaças.

“Eu fui ameaçado em grupos de Whatsapp, recebi ligações de pessoas dizendo que iriam me linchar. Quando eu sair do hospital vou sair com medo. As autoridades estão fazendo seu trabalho, mas gostaria que as pessoas entendessem que eu não pedi para estar nessa posição, tem muita gente dizendo que eu não tenho leucemia, que deveria morrer e acredito que ninguém merece isso”, relata o estudante universitário.

O paciente ainda não foi procurado pela Polícia, que deve investigar o caso. A Secretaria Estadual de Saúde Pública (SESAP) continua acompanhando Gustavo e apurando a versão relatada por ele. No dia 7 de fevereiro, uma mulher foi presa em flagrante, no Rio de Janeiro, após fingir estar com sintomas de coronavírus ao dar entrada na Unidade de Pronto-Atendimento – UPA de Copacabana.

A infeccção humana causada pelo Coronavírus já fez 59,8 mil vítimas na China, de acordo com o balanço divulgado pela Organização Mundial de Saúde – OMS nesta quinta-feira (13). Dessas, 1.368 foram fatais. Apesar de o surto estar concentrado majoritariamente na China, houve registros da doença em mais de 20 países. No Brasil, há casos sob investigação, mas nenhum foi confirmado.

 

 

Anúncios
Artigo anteriorPróximo artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *