OPINIÃO

Joyceanas

Quem me olha só. Caco no verão, caco no inverno. Estilhaço de Romaria. Estilhaço de Antônio Cícero e Adriana Calcanhoto. Galáxia. A honradez dos inteligentes exaspera-me. Cordas de aço. O pulso ainda pulsa. Antunes. Stones. Baby Blue. Arco-íris sempre muda de cor. Chuvas de verão. É doce morrer no mar. A barca corria. La barca carnavalesca. O que explodia era o amor. Fagulhas. Beco da Lama Cascudiano e Maiakoviskiano. Quem me olha só. Tenho o carinho do espinho. Baile no meu coração. Dulcineia. Antes Beatriz. Dante e Cervantes. Mergulho no nada. Interestelar. Big Band. A modernidade chega. Quem me olha só. Tenho os espinhos do carinho. Nave louca salomoneânica.

DROPS
 
Rimbaud revisited
“A honradez dos inteligentes exaspera-me”

Tsunami carnavalesco
A banda da Ribeira no Beco da Lama

Frase
Tá pensando que tudo é futebol (Galvão Bueno – Moraes Moreira)

Life
Uma caixinha de surpresas

Ensaísta
Eucanaã Ferraz Drumondeano

Verve
“A pulga”, de John Donne.

Verso
Você dança é mudança
Baile no meu coração
(Paulo Leminsky)

Vinheta
Quando o samba chama ela vem (Paulinho da Viola)

Artigo anteriorPróximo artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *