CULTURA

Júlio Lima canta a “idiotização das massas” no novo EP

Vindo de uma tradicional família de músicos, Júlio Lima teve em casa seus primeiros ensinamentos através do pai Carlos Alberto de Lima, o “Carlão”, membro fundador da Orquestra Sinfônica do Rio Grande do Norte. Desde então, o artista se graduou em música pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) e passou por diversas bandas até iniciar a carreira solo em 2008.

Em junho de 2019, Júlio Lima lançou nos streams o primeiro dos três trabalhos que celebram os 10 anos de carreira solo. O EP “Idiocracia” tem cinco faixas que narram a realidade histórica e contemporânea do povo brasileiro.

Com letras de protesto que trazem reflexão sobre o pensamento massivo popular e fortes afirmações sobre o atual momento do cenário político, “Idiocracia” fala sobre o Brasil, mas também não esquece dos problemas do Rio Grande do Norte.

Na faixa “Tá Emabassado”, o músico diz que não consegue andar nas ruas despreocupado, pois “Nosso elefante, terra tão querida, hoje se desfaz em sangue e choro pela vida”.

“Esse EP fala do momento atual num contexto regional, nacional e global. Ele vai falar da idiotização das massas, que a cultura também é utilizada como um meio de emburrecimento das massas. Também fala da morte de crianças por balas. Ainda traz reflexões como pra onde vamos quando o planeta explodir”, explica.

O EP foi gravado entre dezembro de 2018 e abril de 2019 em Natal e é o segundo trabalho solo de Júlio Lima. Na obra, Júlio tem a participação dos músicos Riva Nepo, Betão Tavares, John Fidja Gomes, Marina Faya, Zé Marcos e Pretta. A capa foi autoria do artista Pedro Ivo.

Capa de Idiocracia feita pelo artista Pedro Ivo

Composições e novos trabalhos

Júlio Lima afirma que desde o golpe que tirou Dilma Rousseff da presidência da República, ele compôs dezenas de músicas com a temática. Apesar de não ter espaço para todas no lançamento do músico, Júlio promete cantar várias nos shows.

Ainda em 2019, o músico pretende lançar outros dois EPs em comemoração aos 10 anos de carreira, que não aconteceu em dezembro de 2018, pois segundo o músico “na época não havia nada a comemorar”.

“Idiocracia” é o trabalho mais politizado dos três. “Coração de Bolso” vai trazer músicas mais românticas e populares para, segundo o músico, amenizar o ambiente. O terceiro será o “Universo do ocular”, que está em produção há bastante tempo.

Ainda não há confirmações sobre o show de lançamento, que de acordo com Júlio deve ocorrer em agosto ou setembro. Mas o músico prometeu um show de pré-lançamento em julho, ainda sem data definida.

Clique para ajudar a Agência Saiba Mais Clique para ajudar a Agência Saiba Mais
Artigo anteriorPróximo artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *