CIDADANIA

LAIS lança aplicativo para reduzir frequência de pessoas a unidades de saúde

O Rio Grande do Norte conta agora com um sistema de informação e educação sobre o novo Coronavírus. A plataforma Orienta Corona, desenvolvida por pesquisadores do Laboratório de Inovação Tecnológica em Saúde da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (LAIS/UFRN), é uma espécie de bate-papo, onde é possível tirar dúvidas sobre cuidados e sintomas do vírus.

De acordo com a professora e pesquisadora Lyane Ramalho, a ferramenta foi pensada para reforçar a importância do isolamento social e evitar que a população saia de casa em busca de atendimentos simples e dúvidas que podem ser sanadas virtualmente.

“O que nós queremos é que as pessoas fiquem em casa sabendo o que fazer, quais cuidados ter, tenha uma ferramenta para ajudar a se informar. Pensamos assim diminuir a frequência nas unidades de saúde e evitar a lotação do nosso sistema através desse auto atendimento”, explica a pesquisadora.

Segundo Lyane, o app também pode direcionar os usuários as unidades de saúde mais próximas, caso apresentem sintomas e de acordo com a gravidade do quadro.

“Iremos orientar no app tanto os cuidados sobre uso de máscara e higienização das mãos, como também identificar pessoas com sintomas e sugerir a busca presencial por atendimento hospitalar, quando necessário”, disse.

A ferramenta pode ser acessada através do link https://orientacorona.saude.rn.gov.br/

Afrouxar o isolamento pode gerar descontrole da pandemia no Estado, diz médico e pesquisador

Em coletiva de imprensa realizada nesta segunda-feira (20), professores e pesquisadores da Universidade Federal do Rio Grande do Norte abordaram questões envolvendo a atual situação da pandemia no RN.

De acordo com o pesquisador e epidemiologista da UFRN, Ion Andrade, os exemplos trágicos de países como a Itália, nos permitiram ter mais cuidado e atenção a promoção da proteção à doença.

“Pelos sacrifícios dos Italianos, nós estamos aprendendo, fazendo análises mais precisas e reforçando que o isolamento social ainda é a melhor maneira de combater a pandemia. No estado, estamos naquela situação de que se a gente fraquejar, podemos vivenciar o tsunami que é o descontrole total da doença”, explica Andrade.

Já segundo o coordenador do LAIS/UFRN, Ricardo Valentim, a ciência é imprescindível para a tomada de decisões em relação ao enfrentamento da Covid-19.

“É através das orientações que estão sendo recomendadas e pautadas pelas ações da ciência no estado, que são possíveis os decretos de proteção, as decisões de acordo com a situação apontada. Entendemos que hoje a grade questão é como e quando sair do isolamento social, quem vai dar essa luz e apontar o caminho é a ciência, não só no RN, mas no mundo inteiro“, relata.

Clique para ajudar a Agência Saiba Mais Clique para ajudar a Agência Saiba Mais
Artigo anteriorPróximo artigo
Kamila Tuenia
Jornalista potiguar em formação pela UFRN, repórter e assessora de comunicação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *