OPINIÃO

Linda de morrer

Anúncios

Mês passado o país tomou conhecimento, chocado, da nova modalidade de morte que começa a povoar o país: a morte por beleza. Como assim? Se morre por ser bonito? Até pode ocorrer de alguém morrer pelo simples fato de ser bonito, sendo vítima de algum psicopata que o inveje ou almeje tê-lo, mas no geral não é isso que acontece. O que ocorre geralmente é que as pessoas tidas por bonitas têm mais sucesso profissional e sexual numa sociedade profundamente mediada por valores estéticos, sendo a beleza, portanto algo positivo e não negativo em suas vidas. 

Quando falo, portanto, em morrer por beleza, não me refiro às pessoas que são socialmente bonitas “por vida” como se diz, ou aquelas que através de muitas intervenções estéticas bem-sucedidas conseguiram chegar na aparência que ambicionavam. No entanto, o que se tem observado, é que tal busca por um corpo mais ou menos sarado, bonito, magro, perfeito, tem produzido um fenômeno social novo no Brasil ao menos, a morte, quase suicídio em algum sentido, devido ao uso de procedimentos e técnicas cirúrgicas não seguras, antiquadas ou absolutamente irresponsáveis em muitos casos. 

Num áudio que chocou o país, uma mulher não médica, uma técnica de enfermagem se não me engano, que fazia aplicações de produtos proibidos em nádegas de mulheres e travestis ansiosas por um corpo dentro dos padrões da mídia, afirmou que quem procura esse tipo de procedimento sabe dos riscos, e decide fazer mesmo assim, pois preferem correr esse risco, do que simplesmente se conformar em viver com o seu próprio corpo, tal como está, ela chegou a afirmar que “Se morrer morre bonita, a gente morre, mas morre bonita, não fica feia não” . 

Tal atitude de desrespeito à vida, à condição de existência de diversidade da espécie humana, beira o desejo fascista de promover como que uma eugenia populacional, uma sociedade onde todos sejam de determinado padrão de altura, de cor dos cabelos e dos olhos, da pele, e dos volumes das genitálias, que vão aumentando até onde não sabemos onde podem parar. Somos uma sociedade que tem, que cultiva e cultua as “mulheres frutas”, mulher pêra, mulher melancia, mulher melão e etc… 

Só agora estamos começando a discutir essas questões, pois só agora elas começaram a ter a visibilidade, pois mulheres de classe média começaram a morrer por causa disso. As travestis e transexuais já sofrem há décadas com defeitos físicos e mesmo com a morte devido ao abuso do uso de hormônios, silicone, dentre outras intervenções arriscadas. Mas aí o leitor pode estar se dizendo “que maneira mais estúpida de morrer, foi uma opção, uma escolha dessas pessoas morrer assim”. Mas ignoramos que muitas vezes a realidade da ostentação física e sexual é a única conhecida por essas mulheres (trans ou não), uma vez que não acessam o mercado de trabalho formal, devido ao preconceito, à transfobia, se veem obrigadas a fazer um hiper investimento corporal a fim de agradar a clientela já que a maioria só sobrevive graças à prostituição, então olhando dessa maneira, quase passa a ser uma imposição social para a vida das trans terem bundas e seios grandes, é uma exigência “do mercado”. 

Nesse sentido, nessa semana onde comemoramos um ano do lançamento da Saiba Mais, gostaria de amplificar a função social da minha coluna, estabelecendo parcerias com estabelecimentos, alguns novos e outros bastante renomados, onde exercerei um papel ao mesmo tempo de influenciadora digital como também prestar um serviço de utilidade pública, afinal, não é importante indicar alguém, um bom lugar onde fazer um procedimento estético seguro, que resguarde a integridade física, que respeite as limitações dos corpos, cabelos, unhas e pele das pessoas e que não somente as submeta a procedimentos arriscados em nome de um verdadeiro “vale tudo” da beleza. 

Nesse sentido gostaria de indicar o salão de beleza do meu amigo Fred Freire como um lugar onde minhas queridas amigas e meus leitores em geral, podem frequentar “sem medo de ser feliz”, afinal, não é só um procedimento com silicone que pode comprometer a saúde de uma pessoa. Se em geral, não se morre devido a um procedimento mal feito em depilação, unha ou cabelo, não significa dizer que são procedimentos que não podem causar dor, dano e desconforto às pessoas que tenham o azar de fazer tais procedimentos com profissionais desqualificados, não preparados. 

Quantas pessoas nunca tiveram problemas com cortes de cabelo, ou mesmo alongamentos e escovas progressivas, que devido à falta de conhecimento técnico do profissional cabeleireiro em questão pode chegar ao cúmulo de deixar uma pessoa careca? Portanto, é importantíssimo termos muito critério na escolha dos profissionais aos quais confiamos nossos desejos estéticos de transformação. Quem vai numa clínica estética qualquer, num salão de beleza, ou mesmo numa depilação a laser quer sair de lá mais bonito, e não mais “feio”, só que se essa pessoa não fizer uma escolha criteriosa ela pode não só sair mais “feia” do procedimento, como com graves problemas de saúde que podem levar até mesmo à morte como já lembramos aqui. 

Desde 1995 no mercado, atestando pela sua longevidade a qualidade de seu serviço, Fred Hairstylist é um grande profissional da beleza, sendo acima de tudo cabeleireiro, mas controlando todos os processos estéticos de um salão desde a maquiagem até depilação, Fred tem uma visão diferenciada sobre a construção de um visual. É o tipo de profissional que te olha, olha a cor do seu cabelo, da sua pele, e imediatamente já percebe que combinação de cores será necessário para valorizar seu tom de pele em relação a cor do cabelo, percebe logo que tipo de corte vai te rejuvenescer, te revigorar, te deixar com a sensação de que valeu a pena o dinheiro gasto, pois o corte, a química, seja progressiva ou tintura que são especialidades de Fred, ficarão, sem dúvida e com certeza, ótimas. Não só na aparência, como de fato sem nenhum dano a saúde das pessoas que recorrem a seu serviço. 

Ir em Fred é não se arrepender, é se permitir mudar de visual com a segurança e a qualidade de um profissional que não só trabalha com as grandes marcas, como se destaca pela excelência de todos os serviços prestados pelo seu belo salão, localizado em tão estratégico lugar (esquina da Campos Sales com a Mossoró). Isso é resultado de um profissional sério, que investiu pesadamente em sua formação, realizando os principais cursos no Brasil e exterior que foram disponibilizados pela indústria da beleza nessas duas últimas décadas. 

Estive recentemente em Fred e não me arrependi, muito ao contrário, gostei tanto que agora divulgo o serviço aqui na minha coluna como mais um serviço de utilidade pública, afinal só quem é acostumado a usar com certa regularidade os serviços de salão de beleza entenderá plenamente o quanto é um serviço de utilidade pública de fato o ato de se recomendar um bom salão de beleza. Com isso me despeço, e sinalizo o retorno das atividades dessa coluna. 

Artigo anteriorPróximo artigo
Avatar
Historiadora e Militante LGBT

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *