DEMOCRACIA

“Temos que construir uma nova esquerda. Não é hora de uma esquerda frouxa”

O senador Lindbergh Farias (PT/RJ) foi um dos convidados na solenidade que marcou a transferência das sedes da UNE e da UBES para Porto Alegre até a próxima quarta-feira (24), quando acontece o julgamento do ex-presidente Lula pelo TRF4. Ex-presidente da UNE no início dos anos 1990 e líder do movimento estudantil nas mobilizações populares pelo impeachment do ex-presidente Fernando Collor de Melo, Lindbergh ressaltou o papel da entidade na luta pela democracia do país desde a campanha pela Legalidade liderada pelo ex-governador do Rio Grande do Sul Leonel Brizola, que garantiu a posse do vice João Goulart após a renúncia de Jânio Quadros.

Segundo ele, a radicalização de Brizola no episódio de 1961 foi fundamental para reverter o golpe em Jango. Do mesmo modo, Lindbergh não vê saída se a esquerda brasileira não se reinventar. Para o senador, somente a luta institucional não levará a classe trabalhadora novamente ao poder no país.

– Mas nós vamos ter que construir uma nova esquerda. Não é hora de uma esquerda frouxa, é hora de uma esquerda mais aguerrida. Só a luta institucional não vai nos levar a lugar algum. Achar que só a energia do parlamentar ou acreditando nessa Justiça que está aí e já mostrou que tem lado, não vai. A gente não vai derrotar esse golpe com liminar na Justiça. A gente não vai derrotar esse golpe pelo parlamento. A gente só vai derrotar esse golpe se apostar todas as nossas fichas na mobilização popular. Vamos criar uma força popular gigantesca e tenho certeza que esses três dias em Porto Alegre vão levantar a capacidade de luta do nosso povo para defender verdadeiramente a democracia.

Clique para ajudar a Agência Saiba Mais Clique para ajudar a Agência Saiba Mais
Artigo anteriorPróximo artigo
Rafael Duarte
Jornalista e autor da biografia "O homem da Feiticeira: A história de Carlos Alexandre"