CULTURA

Livraria Cooperativa Cultural: um espaço de diálogos, resistência e cultura

Por Leilany Oliveira

Prateleiras lotadas e corredores vazios, esse foi o cenário da Livraria Cooperativa Cultural durante os primeiros meses da pandemia do Coronavírus em 2020. Prestes a completar 45 anos de atividades ininterruptas, a livraria de rua mais antiga em atividade no Rio Grande do Norte atravessou um dos períodos mais difíceis e inusitados da sua existência, com a paralisação das atividades presenciais em março de 2020.

Localizada no maior centro produtor de conhecimento do Estado, a Livraria Cooperativa Cultural viu a sua história ser construída junto aos primeiros passos dados pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), nos anos de 1970. Mas foi em 2020, quatro décadas após sua fundação, que vivenciou, pela primeira vez, os seus corredores sem a rotina corrida compartilhada por alunos, professores, servidores e terceirizados da Universidade.

Funcionária da livraria há 22 anos e gerente há três, Carla Vieira contou como foi para a equipe confrontar as situações adversas, decorrentes da crise financeira instaurada durante a paralisação das atividades em 2020.

“Sempre pescamos dentro do aquário, mas, durante a pandemia, infelizmente, esse aquário secou”.

Carla Vieira, funcionária da Cooperativa Cultural há 22 anos

Segundo Carla, o maior desafio e compromisso foi garantir a manutenção do quadro de funcionários, isso porque, durante os 120 dias mais críticos da pandemia, a Livraria Cooperativa Cultural ficou de portas fechadas.

Atravessando a pandemia

Diante dessa situação, unir-se às forças maiores foi essencial para garantir a continuidade das atividades da Livraria no período pós-quarentena, como explica a presidenta da Cooperativa, Wani Fernandes, “a  Livraria concorreu e foi selecionada para o ‘Projeto Retomada’, uma iniciativa da Associação Nacional de Livrarias (ANL), da Câmara Brasileira do Livro – CBL e do Sindicato Nacional dos Editores de Livros – SNEL, com o intuito de propiciar auxílio financeiro para livrarias de micro, pequeno e médio porte. Além do incentivo financeiro citado, houve os editais da Lei Aldir Blanc (FJA e FUNCARTE), que dispuseram de ações emergenciais destinadas ao setor cultural a serem adotadas durante o estado de calamidade pública”.

Além dos editais citados, o Programa Emergencial de Manutenção do Emprego e da Renda (BEM) do Governo federal auxiliou no pagamento salarial do quadro de funcionários da livraria durante o estado de calamidade e da emergência na saúde pública decorrente do coronavírus.

Neste período, a Livraria Cooperativa Cultural também contou com a solidariedade dos sócios e amigos, que abraçaram a causa a favor do apelo cultural e histórico presente nos corredores da livraria. A campanha “Apoie a Cooperativa”, realizada em abril de 2020, ofereceu vouchers a serem retirados no retorno das atividades presenciais. Alex Galeno, presidente da Cooperativa Cultural na data em questão, relata que essa foi uma medida essencial para garantir o funcionamento da livraria mesmo de portas fechadas, juntamente ao apoio financeiro dos parceiros ADURN-Sindicato e SICOOB-RN.

“Eu, juntamente com o conselho, priorizei a segurança dos funcionários da Cooperativa, nesse momento, contamos com o apoio financeiro dos nossos parceiros para a continuidade das atividades”, relatou.

Amores e paixões pela livraria

O percurso oportunizou situações inusitadas, envolvendo muita gratidão e amor pela história da Livraria Cooperativa Cultural. Segundo Carla Vieira, durante a campanha “Apoie a Cooperativa”, um único parceiro doou o valor que garantiu a segurança financeira no mês de abril de 2020. O doador citado foi aluno da UFRN na década de 1990 e classificou a sua doação como uma retribuição ao papel da Livraria na sua formação acadêmica e pessoal.

Em meio aos sentimentos aflorados pelo momento, houve também tristeza e angústia causadas pelas notícias dos falecimentos de alguns frequentadores que foram vitimados pela Covid-19 em 2020. Para a Operadora de Caixa Gislayne Araújo, funcionária da livraria há 9 anos, essa foi uma das dores mais significativas.

“De casa mesmo ficamos sabendo do falecimento de alguns clientes que faziam parte do nosso cotidiano há anos, foi muito difícil para todos”, disse.

Apesar da dor e angústia causadas pela incerteza do novo dia, para a Livraria Cooperativa Cultural, a pandemia deixou um legado de reinvenção e resiliência, oportunizados pelas novas estratégias de trabalho adotadas durante a quarentena de 2020. A funcionária do setor de Consignação há 20 anos, Katiana Majally, avalia esse período como uma oportunidade de reconstrução.

“Foi muito engrandecedor, nós, funcionários, ganhamos polivalência nas atividades da Livraria e nos reinventamos junto ao seu funcionamento”.

O processo de reinvenção mencionado por Katiana teve início com a ativação do sistema de vendas via delivery, fundamental para o funcionamento das atividades antes do retorno presencial em maio de 2020. Além disso, uma loja virtual foi estruturada para receber pedidos de todo o país.

Em novembro de 2021, ainda sentindo os efeitos danosos que a pandemia de coronavírus deixou, as atividades retornaram presencialmente, respeitando o “novo normal” como realidade.

“Se hoje, na UFRN ainda restam corredores vazios, na Cooperativa Cultural, timidamente, eles voltam a ter movimento. Seguimos esperançosos pelo dia que os nossos corredores voltem a ser um espaço de convivência calorosa entre professores, servidores e alunos, que estão em busca de uma boa leitura, de um café bem quente, ou apenas de um lugar para chamar de seu”.

Presidenta da livraria Cooperativa Cultural Wani Fernandes.

SERVIÇO

A Livraria Cooperativa Cultural está atendendo presencialmente das 8h às 17h, de segunda a sexta, através do site http://www.livrariacooperativacultural.com/ e também via WhatsApp 9-9864-1991, com entrega para a Grande Natal.

Clique para ajudar a Agência Saiba Mais Clique para ajudar a Agência Saiba Mais
Artigo anteriorPróximo artigo