DEMOCRACIA

Mais Repórter seleciona pautas sobre Cultura Urbana e Transgêneros no RN

Os jornalistas Norton Rafael e Louise Aguiar conquistaram a 1ª edição do Mais Repórter, edital de reportagens da Agência Saiba Mais financiado pelos leitores. Norton venceu na categoria Cultura e Louise foi selecionada com uma proposta na área de Cidadania. Os dois receberão R$ 500 (cada) pela reportagem produzida a partir da pauta inscrita no projeto. O prazo para a entrega do material é de até 30 dias. A Agência Saiba Mais vai preservar a divulgação da pauta para garantir o ineditismo da reportagem. A 2ª edição do Mais Repórter será divulgada em fevereiro, após o carnaval, priorizando os eixos Transparência e Democracia.

Apesar do prazo enxuto e do período de inscrições coincidir com as festas de final de ano, a 1ª edição do Mais Repórter contou com 11 propostas inscritas. A maioria das pautas foi sugerida por mulheres e chamou a atenção da comissão julgadora pela qualidade e originalidade. As propostas foram selecionadas por um júri formado pelos diretores da Agência Saiba Mais Rafael Duarte e Vlademir Alexandre; pela jornalista e professora de Comunicação da UFRN Socorro Veloso e pela jornalista e assessora de imprensa da ADURN-Sindicato Jana Sá.

A jornalista seridoense Louise Aguiar vai abordar a questão dos cidadãos transgêneros. Formada em jornalismo e Direito, Louise é uma repórter experiente com passagem pelas redações do Potiguar Notícias, Correio da Tarde, Diário de Natal e Novo Jornal. Feliz com o prêmio, a jornalista se diz motivada e destaca a importância do Mais Repórter:

– O Mais Repórter é uma iniciativa muito bacana. Estávamos precisando desse tipo de iniciativa para incentivar tanto os repórteres mais novos, como quem tem mais estrada. Estou muito motivada porque acabei de entregar meu artigo de conclusão de curso e foi muito bom pesquisar o tema. O assunto precisa ser discutido, mostrado, as pessoas precisam saber que os transgêneros existem e estão no sistema.

O repórter Norton Rafael decidiu apostar na cultura urbana e convenceu a comissão julgadora pela originalidade da pauta. Recém-formado em jornalismo pela UFRN, Norton trabalhou como repórter do extinto Novo Jornal, pelo qual venceu em 2016 o Prêmio de Jornalismo do Ministério Público, na categoria impressa, sobre o caso de um padrasto que estuprou a filha por três anos. No curriculum do jovem repórter ainda consta o prêmio no projeto Craque do Futuro, promovido em 2015 pelo jornal esportivo carioca Lance!. Norton destacou o modelo do Mais Repórter:

– É um projeto muito importante, principalmente nesse momento de precarização da comunicação. Aparecer um prêmio desse, voltado para jovens, estudantes e repórteres experientes é muito bom. E o principal: o vencedor será remunerado. Porque a gente vê muita “oportunidade” no mercado, mas que não remunera o jornalista. No Mais Repórter o prêmio surge como vitrine, espaço para você publicar, fazer seu nome e contribuir de modo geral com a sociedade, e esse contexto acrescenta muito ao nosso trabalho.

Editor da Agência Saiba Mais, o jornalista Rafael Duarte destacou a qualidade das propostas enviadas e a importância do financiamento dos leitores para as próximas edições:

– A qualidade e a originalidade das pautas nos surpreendeu, tanto que foi difícil selecionar as duas vencedoras. Algumas pautas, por exemplo, foram eliminadas porque pediam um prazo maior ao que estava definido no edital. Louise e Norton têm tudo para produzir duas grandes reportagens, que é o objetivo do Mais Repórter. E é importante ressaltar a importância do apoio dos nossos parceiros e dos leitores nesse processo. Sem a contribuição financeira em forma de doação ou de assinatura o Mais Repórter não existiria. O público é fundamental para a Agência Saiba Mais. 

Artigo anteriorPróximo artigo