CIDADANIA

Mãe que teve filha agredida é condenada a pagar indenização a agressor por expor caso em redes sociais

A servidora pública e Coordenadora Geral do Sinsenat (Sindicato dos Servidores Municipais de Natal), Soraya Godeiro, foi condenada pelo Tribunal de Justiça do Rio Grande do Norte a pagar uma indenização de R$12 mil a um estudante que agrediu sua própria filha no ano de 2017. A condenação, assinada pela Juíza de Direito Anna Christina Montenegro de Medeiros, se deu porque Soraya expôs o caso em suas redes sociais. O fato ocorreu quando a filha de Soraya Godeiro esperava o início de uma aula do doutorado na Universidade Federal do Rio Grande do Norte sentada em um sofá da instituição e foi arremessada ao chão por um outro estudante da Universidade.

“Minha filha ligou pra mim dizendo que tinha sido agredida. Ela estava cansada, lendo o texto de uma disciplina no sofá enquanto esperava a aula começar. O estagiário chegou lá todo bruto, reclamando porque ela estava sentada no sofá com o pé pra cima e ela questionou a maneira como ele estava falando. Ele disse ‘não quero saber não’ e levantou o sofá arremessando ela ao chão. Ela estava sozinha em um pátio onde não tinha câmera, nem circulação de pessoas. Eu fiquei desesperada e fui para as minhas redes sociais pedir socorro, pra que alguém fosse lá enquanto eu chegava. Minha filha é uma pessoa extremamente calma, dócil, nunca teve problema com ninguém”, explica Soraya.

Depois do episódio, um procedimento interno foi aberto pela UFRN e uma das funcionárias do setor de serviços gerais prestou depoimento a favor da estudante que sofreu a agressão. Mas, diante da falta de câmeras e outras testemunhas, o processo acabou sendo arquivado.

“Quando cheguei lá o cara tinha fugido e minha filha estava destroçada. Nós fizemos todos os procedimentos e foi aberto um processo interno. Fui pesquisar quem era a pessoa e coloquei nas minhas redes sociais o que tinha acontecido. Nós tínhamos dado o caso como encerrado, minha filha não quis prestar queixa na polícia, levar a questão pra frente e acabamos sendo surpreendidas por esse outro processo. Quer dizer que o agressor não pode ser denunciado?”, questiona Soraya Godeiro.

O processo de número 0805501-97.2017.8.20.5004 foi encerrado pelo Tribunal de Justiça do Rio Grande do Norte. A condenação estabelecida pelo TJRN foi de R$8 mil, mas com os juros do período, o valor final ficou em R$12 mil. Sem condições financeiras para quitar a dívida, Soraya foi orientada a buscar ajuda.

“Em 40 anos de vida pública eu não tenho nada contra mim e agora tenho que pagar esses R$12 mil reais senão serei fichada. Se você vir meu salário, não tenho como pagar porque nem parcelamento houve, tem que ser à vista. As advogadas me passaram que esse é um valor muito acima do que costuma ser praticado nesse tipo de condenação, minha filha teve que fazer um consignado”, desabafa Soraya que, pra conseguir juntar o dinheiro, abriu uma vaquinha virtual para tentar pagar a dívida.

Para contribuir:

Banco do Brasil
Agência: 2874-6
Conta Corrente: 500566-3
Titular: Soraya Godeiro Massud
CPF: 307271384-72

Para saber detalhes do ocorrido clique aqui.

Artigo anteriorPróximo artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *