TRANSPARÊNCIA

Mais de 2 mil pacientes já foram diagnosticados com a Covid-19 no RN; Sesap confirma 93 mortos

Com os índices de isolamento social ainda muito abaixo do esperado pelos órgãos de vigilância sanitária, o cenário da pandemia no Rio Grande do Norte segue dramático.

No boletim epidemiológico divulgado nesta terça-feira (12), a secretaria de Estado de Saúde Pública confirmou 93 mortes e 2.033 pacientes diagnosticados com a Covid-19. Mossoró lidera o ranking entre os municípios com mais óbitos, com 22 mortes das 93.

O secretário-adjunto da Sesap Petrônio Spinelli destacou o alto número de óbitos ainda em investigação, 49 no total.

– 93 aparentemente é um número que não cresceu, mas está crescendo de forma assustadora os óbitos em investigação. Estamos preocupados porque o número de óbitos em investigação já está se aproximando ao de mortes confirmadas, o que mostra que os óbitos estão acontecendo de forma mais rapidamente, e a maioria no interior do Estado”, disse.

Spinelli voltou a destacar a importância do isolamento social para frear a disseminação do vírus no Rio Grande do Norte. Ele citou uma pequena melhora no índice de distanciamento, mas ainda próximo dos 40% e muito abaixo da meta mínima de 60% estipulada pelo Governo.

“Não existe solução sem o isolamento social significativo”, alerta subsecretário

Petrônio Spinelli é secretário-adjunto de Saúde Pública do RN (foto: Demis Roussos)

O Estado potiguar atingiu a marca de 282 pessoas internadas no sistema de saúde, contabilizando leitos públicos e privados. A Sesap já reconheceu a superlotação dos hospitais, mas ainda evita falar em colapso em razão da existência de respiradores. Há filas na central de regulação. Petrônio Spinelli afirmou que nas últimas 24 horas houve uma pequena melhora em Mossoró, que na segunda-feira já não tinha vagas para receber novos pacientes. A situação em Natal segue no limite.

Houve uma melhora em Mossoró. Conseguimos abrir duas vagas na UTI do hospital São Luís e cinco vagas no Tarcísio Maia. É um espaço importante que estamos conseguindo em Mossoró. Em Natal a situação é aquela: o Giselda Trigueiro está com a ocupação em 100%, o hospital da PM em 90% e o hospital municipal de Natal também está 100% ocupado. Estamos trabalhando para voltar ao patamar que nos retire a angústia do colapso. É importante lembrar que não existe solução sem o isolamento social significativo. Todo o esforço será em vão se o isolamento permanecer nesse nível”, alertou.

 

Artigo anteriorPróximo artigo
Rafael Duarte
Jornalista e autor da biografia "O homem da Feiticeira: A história de Carlos Alexandre"

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *