CIDADANIA

Mais de 90% dos pacientes em UTI’s no RN usaram remédio para piolho defendido por prefeito de Natal como tratamento pra covid, diz infectologista

“Mais de 90% dos doentes que estão internados nas nossas UTI’s, fizeram uso de ivermectina! Então, significa que ela não é capaz de fazer o que promete”.

A afirmação é da médica infectologista, professora da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) e membro do comitê científico que auxilia o Governo do Estado, Marise Reis, que bateu de frente com as recomendações que vêm sendo feitas pelo prefeito de Natal, Álvaro Dias (PSDB), que insiste na recomendação de utilizar medicação para piolho, como medida profilática de combate à covid-19.

A capital, junto com a Região Metropolitana, vêm enfrentando uma profunda crise de aumento de casos e falta de leitos críticos (semi-intensivos e UTI’s), destinados aos pacientes com covid-19 em estado grave. Como solução para o problema, o prefeito de Natal recomendou o uso de remédio utilizado no tratamento de vermes, parasitas e ácaros como piolho, lombriga e sarna.

“Vamos usar a profilaxia, vamos nos prevenir, vamos usar as medidas sanitárias, vamos usar a ivermectina. A ivermectina funciona! Vamos nos prevenir e salvar vidas”, afirmou Álvaro Dias durante entrevista coletiva exibida no RNTV 1 desta segunda (22).

Em entrevista ao Bom Dia RN desta terça (23), Marise afirmou que o remédio não funciona, que a defesa da medicação por um gestor público é inadmissível e que esse comportamento atrapalha o combate e as políticas de contenção do vírus.

“Essa defesa, neste momento, é um acinte! É um acinte ao conhecimento médico, ao conhecimento científico. É inaceitável! É inaceitável que o prefeito de Natal, que é médico, venha dizer que vai distribuir ivermectina nos postos. Isso é uma vergonha! O que ele tem que fazer é abrir as unidades de saúde pra receber e cuidar da população, monitorar, ampliar a testagem para que a gente saiba quem está doente e proteja essa pessoa e seus familiares, proteger os contactantes para que as pessoas não trabalhem transmitindo… não adianta ficar se iludindo e iludir a população. Nunca houve dúvida de que esse medicamento não funciona, não é à toa que o mundo não recomenda”, criticou Marise.

Ainda durante a entrevista, Marise Reis alertou que a situação é gravíssima e que fila de espera por leito de UTI resulta em morte. Ela também reforçou que é preciso evitar aglomerações para evitar o crescimento dos casos da covid-19. Médicos e pesquisadores já alertaram para o risco das altas dosagens da medicação, que podem intoxicar o organismo e provocar efeitos colaterais que venham a confundir o diagnóstico.

Natal tinha até esta segunda (22), 45.125 casos confirmados e 1.369 óbitos decorrentes do novo coronavírus, de um total de 160.752 casos e 3.498 mortes em todo o Rio Grande do Norte.

Clique para ajudar a Agência Saiba Mais Clique para ajudar a Agência Saiba Mais
Artigo anteriorPróximo artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *