DEMOCRACIA

Mais jovem vereador de Natal, Pedro Gorki assume vaga e garante assinatura em pedido de CEI para investigar gestão Álvaro Dias

O estudante de pedagogia da UFRN Pedro Lucas Gorki Azevedo de Oliveira (PCdoB) assumiu nesta sexta-feira (9) a cadeira na Câmara Municipal de Natal herdada deJúlia Arruda, colega do partido que deixa a Casa para assumir a Secretaria Estadual das Mulheres, Juventude, Igualdade Racial e dos Direitos Humanos. Gorki é o mais jovem a tomar posse como vereador em Natal, posto ocupado pela petista Brisa Bracchi (PT). A solenidade ocorreu na manhã de hoje.

No discurso de posse, o parlamentar disse que o mandato dele representará “o grito de mais de três mil natalenses em situação de rua, os mais de 50 mil analfabetos e os que sofrem com o racismo, a LGBTfobia e a intolerância religiosa”, afirmou.

O vereador do PCdoB disse que acredita numa Câmara Municipal que seja “ponte que diminua a distância da Natal real da Natal dos nossos sonhos. Os bons legisladores são os que têm o coração conectados com o povo. Nosso mandato não irá se satisfazer uma mera representação juvenil”, declarou.

Em entrevista à agência Saiba Mais, Gorki já adiantou que vai assinar o pedido de abertura de uma Comissão Especial de Inquérito (CEI) para investigar os gastos da Prefeitura de Natal durante a pandemia da covid-19. O documento foi assinado por Brisa Bracchi (PT), Divaneide Basílio (PT), Ana Paula (PL), Júlia Arruda (PCdB), Robério Paulino (PSOL) e Anderson Lopes (Solidariedade):

Seremos pedra no sapato de qualquer um que faça mal uso do dinheiro público. É nossa obrigação fiscalizar os contratos e abrir essa CEI para garantir à população que o dinheiro dos seus impostos está indo, de fato, para o combate ao coronavírus e não para o bolso de algumas pessoas”, promete Gorki.

Com apenas 20 anos, Pedro Gorki tem um histórico de participação em causas sociais de interesse coletivo. Ele é ex-presidente da União Brasileira dos Estudantes Secundaristas (UBES). Aos 12 anos, estava entre os manifestantes que pediam um preço acessível do valor cobrado pela passagem de ônibus em Natal no ano de 2013. Gorki, que também é pesquisador na Faculdade Latino-Americana de Ciências Sociais (FLACSO), coordenador do Centro Acadêmico de Pedagogia Paulo Freire, tesoureiro da União Estadual dos Estudantes, dirigente da União da Juventude Socialista e militante da UNEGRO (União de Negros e Negras pela Igualdade), explica que o interesse por questões sociais foi um processo natural:

Minha mãe era carteira e fazia parte do sindicato, meu pai também fazia parte do Sinte (Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do RN), então crescer entre essas questões sempre foi muito natural, fui forjado nessa base de lutas. Meus pais sempre me incentivaram a aprender a ler o mundo, a entender as desigualdades da cidade e as diversas realidades que nosso povo vive. Foi a luta de outras gerações, de pessoas que vieram antes de mim, que permitiram que eu estivesse aqui nesse momento. Todo o processo, desde a campanha até a coleta desse fruto, foi coletivo com um grupo imenso de estudantes trabalhadores, companheiros de partidos e pessoas que acreditam nesse projeto. Então, estamos estudando muito como implementar boas leis, otimizar a fiscalização do poder executivo e servir realmente ao povo”, conta.

Sobre transporte público, Gorki antecipa que além das questões básicas como preço e qualidade do serviço dos ônibus, pretende ampliar essa discussão.

“É preciso colocar na agenda do transporte público a questão das ciclovias, dos trens que passam pela cidade e outras formas de locomoção para além dos ônibus, que são importantíssimas para conseguirmos garantir esse direito à cidade”, planeja.

 

Clique para ajudar a Agência Saiba Mais Clique para ajudar a Agência Saiba Mais
Artigo anteriorPróximo artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *