CIDADANIA, Principal

Manual de Comunicação LGBTI+: como combater preconceito com informação

Mais informação, menos preconceito. Simples assim. Partindo dessa premissa, entidades como a Aliança Nacional LGBTI, o Grupo Dignidade e a Rede Gay Latino lançaram na semana em que é celebrado o Dia Internacional contra a LGBTfobia o Manual de Comunicação LGBTI+, documento que apresenta aos meios de comunicação, incluindo jornalistas e estudantes da área, a terminologia mais atualizada sobre a população lésbica, gay, bissexual, travesti, transexual e intersexual.

O documento também traz à discussão temas importantes para o debate nacional e internacional sobre os direitos LGBTI+.

O Manual possui 104 páginas e aborda, na introdução, questões como sexualidade, gênero e sexo biológico; orientação sexual; identidade e expressão de gênero; discriminação, preconceito e estereótipo; e as conquistas e avanços.

No capítulo destinado à abordagem da população o LGBTI+ na mídia, o documento informa termos e comportamentos que devem ser evitados, destaca a substituição do preconceito pela informação correta e oferece dicas e sugestões de pauta.

O diretor presidente da Aliança Nacional LGBTI+ Tony Reis afirma, na apresentação, que o objetivo é contribuir para a redução de preconceitos, estigmas e colaborar para um entendimento melhor de termos que são recorrentes entre a população LGBTI+, mas que podem não ser usuais no dia a dia de comunicadores(as) e estudantes.

– O manual torna o jornalismo mais inclusivo e atento às realidades.

O Manual de Comunicação LGBTI+ foi inspirado em documentos semelhantes lançados por entidades, como a SOMOSGAY (Paraguai), a Colômbia Diversa, a GLAAD (Estados Unidos) e a ABGLT no Brasil.

A equipe que produziu o material também ouviu especialistas e realizou uma consulta pública de dois meses.

O jornalista natalense e militante LGBTI+ Vitor Pimentel acredita que documentos como esse contribuem para a luta contra a LGBTfobia

– Manuais como esse ajudam os profissionais de comunicação, como eu, a trabalhar as questões LGBTI+ com clareza e na perspectiva da inclusão e igualdade de direitos. Nos ajuda a escapar de erros e preconceitos fortemente impregnados tanto na sociedade e como na imprensa como os que diziam que a população LGBTI+ precisava ser “curada” ou não tinha direitos básicos como o casamento igualitário e a adoção. A visibilidade é uma arma poderosa contra a LGBTFobia. 

O manual de comunicação LGBTI+ pode ser lido na íntegra aqui

Artigo anteriorPróximo artigo
Rafael Duarte
Jornalista e autor da biografia "O homem da Feiticeira: A história de Carlos Alexandre"

2 Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *