DEMOCRACIA

Manuela D’Ávila entrega celular para a PF e depõe sobre caso de mensagens vazadas

Anúncios

A ex-deputada federal Manuela D’Ávila (PCdoB-RS) prestou depoimento na quarta-feira (28) à Polícia Federal de Brasília e entregou seu celular para a perícia da instituição após depor sobre o caso dos vazamentos de mensagens. A investigação é no âmbito do inquérito que apura a invasão hacker aos celulares do ministro da Justiça, Sergio Moro, do coordenador da Lava Jato, Deltan Dallagnol, e de outras autoridades. Manuela,que também teve o celular invadido, até o momento, foi a única a ter disponibilizado o telefone para a PF.

Anúncios

Conforme noticiado, Walter Delgatti Netto, o “Vermelho”, que ficou conhecido como o “hacker de Araraquara”, foi preso e confessou ter invadido o celular de autoridades e vazado as conversas para o site The Intercept Brasil, que vem divulgando os diálogos através da série Vaza Jato.

Manuela D’Ávila também teve o celular invadido e manteve contato com o hacker sem saber sua identidade. Ela se limitou a intermediar o contato entre Delgatti e o jornalista Glenn Greenwald, responsável pelo site The Intercept Brasil.

Há algumas semanas, Manuela já havia enviado capturas de tela das conversas que teve com o hacker à PF, mas agora deixou seu celular à disposição dos investigadores para que a veracidade das informações que passou seja confirmada. Ela prestou depoimento em condição de vítima, já que também teve o celular invadido, mas fez questão de entregar o celular para que se sane qualquer dúvida com relação à autenticidade das mensagens vazadas pelo hacker.

“Fiz isso de forma voluntária, na condição de vítima, mas também para contribuir para que esse caso seja esclarecido. O que há de mais importante são os crimes cometidos pelas autoridades do Estado brasileiro. Esses crimes que devem nos preocupar”, disse a ex-candidata à Vice-presidência, em vídeo compartilhado em suas redes sociais.

Em outra postagem, Manuela desafiou as autoridades envolvidas no caso e que negam o conteúdo das mensagens vazadas a também entregarem seus celulares, o que até agora não foi feito.

Ontem entreguei, voluntariamente, meu celular para a PF. Eu já havia entregue os prints de todas as conversas. Ontem entreguei as informações do telefone p q fique comprovado a veracidade das informações que prestei voluntariamente em meu depoimento. Pq ninguém mais entregou o celular?”, postou Manuela no Twitter. 

Nem russo e nem petista 

Nesta quinta-feira (29), em entrevista à Folha de S. Paulo, Walter Delgatti Neto, o hacker de Araraquara, que está preso, confirmou à apuração feita pela revista Fórum no mês passado afastando a possibilidade de que ele tinha qualquer vínculo político ou ímpeto de ajudar algum partido quando decidiu hackear as autoridades e vazar as mensagens.

“Vale ressaltar, mais uma vez, que nunca procurei nenhum integrante do PT e tampouco tive a intenção de vender o material. Alguém pretende provar o contrário?”, afirmou Delgatti.

Anúncios
Artigo anteriorPróximo artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *