TRANSPARÊNCIA

Médico que troca inscrição no youtube por receita de tratamento precoce se vacina contra covid-19 em Natal

O médico oftalmologista e deputado estadual, Albert Dickson (Pros), que se tornou conhecido nacionalmente por trocar “likes” e inscrição no youtube por receita de falso “tratamento precoce” para covid-19, se vacinou nesta segunda (17), na unidade para pedestres montada no Shopping Via Direta, zona sul de Natal.

Recentemente, a BBC Brasil, o Uol e a Agência Pública, além da agência Saiba Mais, publicaram reportagem chamando atenção para o fato do parlamentar fazer atendimento por meio de whatsApp pedindo para que, antes de receber a receita médica, os pacientes tirem print da inscrição no youtube no canal do médico.

No combo de remédios receitados por Albert Dickson, estão medicações sem eficácia científica comprovada, como um antiparasitário cuja a única eficácia atestada até agora é para o tratamento de vermes, piolhos e sarnas. O número de whatsApp por onde a receita é enviada, é divulgado ao final dos vídeos do médico, que também explica como ter acesso à consulta gratuitamente:

Vocês vão se inscrever no nosso canal, ganhando uma etapa no atendimento. Vocês vão printar e mandar para o meu WhatsApp. Quando você mandar, você já vai começar a ter o acesso à consulta comigo. O segredo é mandar o print”, afirma Albert Dickson em um de seus vídeos. Em sua defesa, o médico disse que a inscrição no canal no youtube não é condição obrigatória para ter acesso à receita médica.

Quanto a inscrição no canal, atendemos a todos sem restrição dessa necessidade. De minha parte, não há cobrança de consulta para tratamento de Covid (embora essa prática não seja proibida no Brasil), esclarecendo que minha atuação é de cidadania, como uma forma de diminuir os efeitos deletérios da pandemia, os quais estão sendo suportados por toda a sociedade”, argumentou Albert Dickson.

A Agência A Pública apurou que o celular de Albert Dickson aparece como administrador dos grupos de WhatsApp “Ivermectina é Vida”, “Ivermectina Salva”, “Trat Precoce VS RS” e dois grupos diferentes com o mesmo nome: “Covid/Tratamento Precoce”. Somando todos, os grupos têm um total de 850 membros.

A agência Saiba Mais entrou em contato com o Conselho Regional de Medicina do Rio Grande do Norte (Cremern) para saber se a instituição adotaria algum procedimento em relação ao médico, mas não obtivemos resposta até a publicação desta matéria.

Defensor de tratamento precoce, Albert Dickson se vacina contra covid-19

Médicos protestam no fim de semana

Durante este final se semana, médicos e parlamentares da extrema direita fizeram um protesto na praça da Árvore de Mirassol, pelo direito de continuar prescrevendo medicação para o “tratamento precoce” da covid-19, mesmo que sem eficácia científica comprovada.

Apesar da manifestação, os médicos não estão, nem nunca estiveram proibidos de receitar medicação para tratamento da covid-19. Em março, a Associação Médica Brasileira (AMB) se manifestou contra o uso de medicamentos como hidroxicloroquina e ivermectina, que não têm eficácia científica comprovada para covid-19.

Os remédios fazem parte do “kit covid”, defendido pelo presidente Jair Bolsonaro. Reportagem do jornal O Estado de São Paulo publicada em março deste ano traz a informação de que, pelo menos, três pacientes morreram e outros foram para a fila de espera por transplante de fígado depois de uso das medicações que fazem parte do “kit covid” para tratamento precoce.

Imagens do protesto dos médicos I Reprodução redes sociais

 

 

 

 

 

 

Clique para ajudar a Agência Saiba Mais Clique para ajudar a Agência Saiba Mais
Artigo anteriorPróximo artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *