CIDADANIA

Ministério Público do RN recorre de decisão da justiça que libertou jipeiro acusado de matar amigo

O Ministério Público do Rio Grande do Norte (MPRN) recorreu da decisão do Tribunal de Justiça do estado que na última quinta-feira (2) concedeu liberdade provisória ao jipeiro Ailton Berto da Silva. Ele é réu confesso do assassinato de Fantone Henry Filgueira Maia e da tentativa de homicídio de outras duas pessoas durante uma confraternização em novembro passado na praia de Santa Rita, município de Extremoz.

No recurso, a Promotoria de Justiça de Extremoz destaca as hipóteses legais para manutenção da prisão preventiva, “não sendo pertinente e muito menos recomendável da concessão de cautelares diversas da prisão, já que foi amplamente demonstrada a periculosidade do agente, risco de reiteração delitiva e efetiva possibilidade de fuga do distrito da culpa”.

Ailton estava preso desde o dia 6 de dezembro de 2019. Segundo o MPRN, no início de março, a Justiça havia indeferido um pedido da defesa do denunciado de prisão domiciliar por entender necessária a custódia cautelar.

Na manhã desta quarta-feira (8), amigos e familiares de Fantone Henry Filgueira Maia quebraram a quarentena e saíram em carreata pelas ruas de Natal contra a decisão da justiça do RN. Eles pedem que Ailton volte a responder ao processo pela morte de Fantone na prisão.

Entenda o caso

O crime aconteceu em novembro passado, na praia de Santa Rita, em Extremoz. Depois de desentendimentos, Ailton Berto fez vários disparos, atingindo Fantone Henry Filgueira, que morreu no local, e duas outras pessoas que foram socorridas e levadas a hospitais da cidade.

Após o crime, Ailton fugiu do local e foi considerado foragido. No dia 6 de dezembro ele foi preso por policiais civis da Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), na cidade de Goianinha.

Artigo anteriorPróximo artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *