OPINIÃO

O tamanho de Alexandre Motta

Anúncios

O diretório municipal do PT escolheu neste sábado (1º) o senador Jean Paul Prates como pré-candidato a prefeito de Natal. A decisão contou com o voto de 38 pessoas, além do peso da cúpula do Partido. O parlamentar disputou com o infectologista Alexandre Motta, médico lotado no hospital Giselda Trigueiro e que desde o início da pandemia vem atuando na linha de frente do combate a Covid-19.

Motta fez de tudo para viabilizar seu nome como o representante do PT nas eleições confirmadas para novembro. Procurou todas as correntes da sigla para apresentar os porquês e justificar os motivos pelos quais ele acreditava que deveria ser o candidato petista. Procedimento natural e legítimo de toda e qualquer campanha. Desde o início, no entanto, sentiu uma rejeição à sua candidatura pelo comando petista.

Foi recebido por alguns, levou chá de cadeira de outros. Ganhou a adesão quase imediata da deputada federal Natália Bonavides, que viu ali, também, uma oportunidade de se livrar da pressão do partido para que saísse candidata. Natália bateu o pé e ninguém, incluindo o ex-presidente Lula numa conversa olho no olho, a convenceu do contrário. Mesmo sendo de longe o principal nome para enfrentar Álvaro Dias num eventual 2º turno. Deputada federal mais jovem do PT no Congresso Nacional, preferiu assumir outra tarefa, disse à agência Saiba Mais no final do ano passado.

Minutos após a decisão do diretório municipal, Alexandre Motta foi às redes sociais dizer que tinha candidato a prefeito de Natal: Jean Paul Prates. A legenda foi publicada com uma foto ao lado do oponente numa manifestação de respeito pelo Partido, pelo adversário e, mais do que isso, uma demonstração de dignidade.

Um oponente, aliás, que nunca expôs publicamente o desejo de concorrer ao pleito, desde o início uma candidatura trabalhada nos bastidores. Era uma eleição interna de fato, mas dada a grandeza e a importância da sigla no cenário nacional e local, fadada a ganhar o debate público.

Tão logo saiu a definição referendando o nome de Jean Paul, debates acalorados ganharam as redes sociais, incluindo grupos de whatsaap, alguns saudando outros criticando a escolha, dentro e fora da dita bolha progressista. Natural numa democracia e uma prova da amplitude do PT na sociedade.

Mas o PT não foi correto com Alexandre Motta e poderia tê-lo poupado de uma disputa que se para a plateia teve um “caráter democrático”, internamente já tinha sido sacramentada.

Candidato ao Senado em 2018, Motta saiu das urnas com 242.465 votos. Lembro de encontrá-lo chateado a caminho do local onde Fátima Bezerra, Natália Bonavides e Zenaide Maia discursariam após a divulgação dos resultados oficiais.

Estava contrariado pois tinha certeza que poderia ir mais longe, embora a briga há dois anos fosse grande, principalmente, contra dois candidatos da velha política (Garibaldi Alves e Geraldo Melo) e um fato novo talhado na esteira do bolsonarismo e da anti-polítca (Styvenson Valetim).

Não tenho dúvidas de que Motta vai se engajar por inteiro na defesa do candidato escolhido pelo PT. Será peça importante, como foi no 2º turno da campanha de Fátima como porta-voz do discurso eleitoral petista em várias peças de marketing, e como tem sido desde o início do Governo dando a cara a tapa para defender a gestão em temas espinhosos que a maioria dos filiados e até parlamentares evita comentar.

Já foi convidado para integrar a nominata do Partido que concorrerá a Câmara Municipal de Natal. Ficou de pensar.  

Certeza mesmo é que Alexandre Motta sai dessa disputa muito maior do que entrou, preservando o nome, a carreira e os princípios. E com a consciência de que fez a coisa certa, da forma correta, independente do fim.

Artigo anteriorPróximo artigo
Rafael Duarte
Jornalista e autor da biografia "O homem da Feiticeira: A história de Carlos Alexandre"

1 Comment

  1. Alexandre Mota merece todo e irrestrito apoio, exemplo de ética e moral acho que o PT errou na escolha mas, sigo as palavras do próprio Dr Alexandre Mota “já tenho o meu candidato a prefeito de Natal, o senador, Jean Paul”
    e pra não perder o hábito, NÃO vote álvaro e Natal terá DIAS melhores!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *