OPINIÃO

Os chiliques da oposição

Acusado de viajar às custas do Estado sem ocupar oficialmente o cargo de diretor-presidente da Fapern, o professor Gilton Sampaio informou ao blog do jornalista Daniel Dantas Lemos que pagou as passagens aéreas de uma viagem recente para Brasília com recursos próprios.

E mostrou os comprovantes.

Parte da blogosfera natalense, alçada à condição de porta-voz do antipetismo no Estado, vem dando chiliques diários nas redes sociais na tentativa de imputar a auxiliares da governadora Fátima Bezerra (PT) mau uso de recursos públicos.

Até o momento não conseguiu.

Seria uma forma legítima de fiscalização não fosse a partir da proliferação de mentiras, as chamadas fake news.

Como a que envolveu Gilton Sampaio, já nomeado diretor-presidente da Fapern, e acusado sem provas ou chance de defesa.

Recentemente, outra mentira virou ação judicial e foi enterrada pela própria Justiça ainda na sexta-feira, dando conta de um suposto caixa de R$ 400 milhões, divulgado como “sobra” de janeiro.

Os números oficiais foram apresentados, desmontando a farsa.

A mesma turma que critica o Governo por não colocar os salários do funcionalismo em dia com menos de dois meses de gestão passou quatro anos fazendo vista grossa para desperdícios de dinheiro público.

Coincidentemente, são os mesmos que ocupavam cargos com salários generosos no Governo.

A melhor arma da sociedade para combater as fake news é a informação.

De qualidade.

O povo escolheu nas urnas quem desejava para governar o Estado e também definiu quem deveria fazer oposição.

O que se espera do primeiro grupo são projetos e, sobretudo, ações em favor do Rio Grande do Norte, cumprindo as promessas presentes no programa de Governo aprovado na eleição.

Do segundo grupo, o povo espera ideias e alternativas – quando divergentes –  ao projeto que está no poder.

A desconstrução do adversário é mais do que natural no jogo da política.

Até o momento, porém, só o que a oposição conseguiu desconstruir pela imprensa antipetista foi a própria oposição.

É de batalhas que se vive a vida, profetizou Raul Seixas.

Mas nem só de chiliques deveria viver a oposição.

Artigo anteriorPróximo artigo
Rafael Duarte
Jornalista e autor da biografia "O homem da Feiticeira: A história de Carlos Alexandre"

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *