OPINIÃO

Os furtos e roubos de bicicletas em Natal

De Redinha à Ponta Negra, Maracajau, vou sorrindo, vou sonhando pra Genipabu….ah, quem não se lembra dessa bela canção de carnaval cantarolada no trio de Armandinho, Dodô em Osmar?

Apesar da beleza da canção, que retrata as nossas belezas naturais, infelizmente estamos tendo que usar esses refrões quando estamos indo nas delegacias registrar os boletins de ocorrência devido aos roubos e assaltos de bicicletas em Natal e cidades circunvizinhas. Nos últimos 11 dias, foram roubadas, ao menos roubos informados às autoridades competentes e grupos de ciclistas, nada menos que 6 bicicletas. Ou seja, a cada dois dias se rouba uma bicicleta por aqui.

De norte a sul da cidade, literalmente de Redinha a Ponta Negra conforme a música, o que se tem notícia é que algum ciclista foi acossado, assaltado e violentado, tendo que descer, quando não o derrubam, de sua bicicleta. E, ter uma bicicleta cara ou barata, pedalar sozinho ou em grupo é algo cada vez mais aleatório visto que quem rouba não sabe se o grupo é SRAM ou SHIMANO, o importante é roubar ou furtar.

Cresce o medo, ao mesmo tempo que cresce o número de boletins de ocorrências sobre tais incidentes. Cresce também o desânimo de vários ciclistas que se veem impedidos de sair com a sua magrela seja para a realização de atividade esportiva, de lazer, ir ao trabalho, escola ou supermercado. Constrange, ainda, quem tem interesse em se deslocar no tramo urbano através de uma bicicleta. Não bastasse a fúria de certos motoristas que se confiando na impunidade praticam direção ofensiva contra os ciclistas, os roubos/assaltos ganham notoriedade pela sua quantidade e violência no ato.

Nesse sentido, nós, os ciclistas conclamamos as autoridades competentes, Secretaria de Segurança Pública, Ministério da Aeronáutica, Prefeituras, Governo do Estado, Bombeiros e demais órgãos competentes para que juntos à ACIRN (Associação dos Ciclistas do Rio Grande do Norte) desenvolvam uma inteligência policial no sentido de inibir os roubos e furtos e que, no segundo momento, seja possível recuperar a bicicleta roubada/furtada. É um trabalho árduo, porém uma eficiente gestão pública se faz com um planejamento multi-institucional.

E lembremos de que tornar a cidade ciclável, onde a bicicleta seja um modal de deslocamento importante e requisitado por todos tornará uma cidade mais encantadora. E, dessa forma, poderemos encher nossos pulmões e cantar “Natal, como eu te amo, como eu te amo Natal”!

 

 

 

Clique para ajudar a Agência Saiba Mais Clique para ajudar a Agência Saiba Mais
Artigo anteriorPróximo artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *