OPINIÃO

Os limites das telas

O uso de equipamentos eletrônicos atualmente já é motivo de um grande debate na sociedade sobres os abusos e suas possíveis consequências maléficas. Como os meios eletrônicos também trazem uma série de comodidades ao mesmo tempo, o debate científico ainda está caminhando lentamente. Ao contrário das crianças, onde nós já temos uma série de estudos mostrando que a exposição de telas precocemente e por tempo prolongado podem gerar mil maléficios.

Já uma indicação clara para que crianças entre 5 meses até a adolescência, tenham limitado o tempo de uso de telas (Jogos, TV, Celular..) a 2 horas diárias; entre 5 meses e 2 anos esse tempo de exposição deve ser de 1 hora diária e, abaixo de 2 anos, não tenha contato. Além disso, crianças até 6 anos devem ser limitados a jogos de suspense e/ou terror, e crianças em nenhuma fase deveriam assistir jogos com violência ou “trocas” por recompensa de quem matar mais, por exemplo.

A criança está em permanente desenvolvimento neuronal e a exposição exagerada de telas pode comprometer outras funções cerebrais, como a linguagem, a sociabilidade e a memória. Além de poder prejudicar aspectos posturais pela exposição de musculaturas e articulações ainda frágeis a várias horas em uma posição viciante.

É muito bonito falar isso, mas quem tem filho sabe que na vida diária é difícil colocar em prática. As telas chegaram e mudaram drasticamente a vida de todos nós e ainda temos muita dificuldade de lidar com isso. Imagina então para uma criança, como é difícil. Precisamos ao mesmo tempo não criminalizar as telas, mas mostrar que só podemos nos beneficiar das suas facilidades se conseguirmos lidar com elas de forma saudável.

Certo dia falei para minha filha que ela deveria parar um pouco de ver TV e fazer “outras coisas”, e ela: “Mas você está usando o celular e eu vou fazer o que?” Não importa que eu estivesse trabalhando no celular. Para a criança eu estava passando uma idéia de dependência por igual. Mudar esses hábitos exige um esforço de toda a família para sempre se questionar o tempo em que a família está junto e poder otimizar ao máximo esse tempo. Acabamos por sair para jogar futebol juntos, foi bem mais divertido.

Alguns trabalhos recentes mostraram que as crianças que conseguem ter uma exposição saudável a telas (menos de 2 horas diárias), fazem 1 hora de atividade física, dormem entre 9 a 11 horas e conseguem ter uma capacidade cognitiva na adolescência muito superior as que não cumprem essas tarefas. A maior sociabilidade e diminuição de depressão e obesidade também estão relacionada com essa tarefas. O estudo continua e avaliarão esses adolescentes na fase adulta também, já estou curioso por esses dados.

Enfim, a tecnologia veio para ajudar e facilitar nossa vida, mas também pode nos prejudicar fortemente em vários aspectos na vida adulta. Nas crianças isso tem um impacto ainda maior, em tempos de epidemia de obesidade e transtornos de ansiedade e hiperatividade nas crianças, o excesso de exposição pode nos custar muito caro no futuro.

Artigo anteriorPróximo artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *