DEMOCRACIA

Outdoor chamando Bolsonaro de “genocida” em Natal gera revolta de deputado e protestos de bolsominions

Um outdoor eletrônico com a imagem de Jair Bolsonaro ao lado da palavra “genocida” exibido em Natal (RN) gerou revolta entre admiradores do presidente da República. A mensagem ainda cobra lockdown com auxílio-emergencial e vacina para todos os brasileiros.

A publicidade foi paga pela CSP Conlutas e exibida em três endereços: ao lado do posto Shell, na avenida Hermes da Fonseca; próximo ao Portugal Center, na avenida Salgado Filho; e no painel eletrônico localizado nas dependências internas do supermercado Favorito, na avenida Engenheiro Roberto Freire.

Curiosamente, só o outdoor eletrônico divulgado na zona sul da capital motivou protestos. Blogs bolsonaristas e famosos em Natal por divulgar fake news também atacaram a central sindical. O deputado federal general Girão (PSL) informou que acionaria a Polícia Federal para investigar “crime de injúria” contra Bolsonaro previsto na Lei de Segurança Nacional.

Um homem identificado como Paulo Potiguar ligou para o supermercado Favorito para reclamar da publicidade e ameaçou não comprar mais produtos naquela loja. Ele ainda citou a bandeira do Brasil exibida num supermercado concorrente na mesma avenida como símbolo de patriotismo.

Após os protestos, a publicidade do Favorito foi retirada sem consulta à entidade que pagou pelo serviço. Coordenadora da CSP Conlutas, Rosália Fernandes disse que o contrato previa a exibição da mensagem por 30 dias.

A sindicalista discorda de quem diz que o outdoor fere a lei de Segurança Nacional. Pelo contrário, para ela a mensagem alerta a população sobre o responsável pelas milhares de mortes durante a pandemia:

– Por acaso estamos ameaçando o presidente ? Estamos dizendo que vamos matar o presidente ? Pelo contrário, estamos dizendo que quem está matando é ele, quando atenta contra a vida de mais de 350 mil pessoas nessa pandemia. O discurso dele e de quem o defende é baseado no negacionismo, de quem não assume responsabilidades”, disse.

Na avaliação de Rosália, a retirada a publicidade do outdoor eletrônico sem consulta a CSP Conlutas é um atentado contra a liberdade democrática:

– Significa o cerceamento da liberdade democrática, da liberdade de expressão. Mais ou menos como aconteceu com o Felipe Neto (youtuber que também chamou Bolsonaro de genocida e foi processado). Estamos vivendo numa ditadura mesmo, onde a imprensa não pode noticiar e o poder de polícia é igual à daquela época. É um absurdo, não temos acordo”, disse.

A sindicalista também informou que a central dará visibilidade nacional ao caso e pediu apoio aos sindicatos e entidades de defesa dos trabalhadores e trabalhadoras.

 

 

Clique para ajudar a Agência Saiba Mais Clique para ajudar a Agência Saiba Mais
Artigo anteriorPróximo artigo
Rafael Duarte
Jornalista e autor da biografia "O homem da Feiticeira: A história de Carlos Alexandre"

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *