TRANSPARÊNCIA

Palácio do Planalto decreta um século de sigilo à carteira de vacinação do presidente Bolsonaro

Um dia após o país registrar recordes de casos e mortes, o Palácio do Planalto decretou sigilo de até cem anos ao cartão de vacinação de Jair Bolsonaro (sem partido) sob a justificativa de que os dados “dizem respeito à intimidade, à vida privada, à honra e à imagem” do presidente.

A informação é da revista Época, que solicitou dados sobre as doses de vacina do presidente via Lei de Acesso à Informação. O fato aconteceu nesta sexta-feira, 8, um dia depois do país registrar mais de 1.800 vítimas e 90 mil casos de acordo com o Conselho Nacional dos Secretários de Saúde (Conass). Com isso, o Brasil encerra a semana útil com 201.460 vítimas. Os números, no entanto, não estão atualizados por problemas no envio das informações dos estados do Paraná e Amazonas.

A falta de uma coordenação nacional desde o início do surto, em março, o fim do auxílio emergencial e a perda de cerca de 40 bilhões de reais em recursos para o Sistema único de Saúde (SUS), em 2021, agravam ainda mais o quadro no Brasil.

Sem respeito às normas estabelecidas pela Organização Mundial da Saúde para barrar a propagação do vírus, Jair Bolsonaro tem andado na contramão dos líderes mundiais, promovendo aglomerações e defendendo o uso de medicamentos sem comprovação científica de eficácia. Além disso, o presidente do Brasil tem defendido que a vacinação contra o novo coronavírus não seja obrigatória e disse mais de uma vez que não vai se vacinar.

Contudo, com países em todo mundo avançando na vacinação contra a covid-19, o governo brasileiro enfim deu um passo importante nesta sexta para dar início à campanha de imunização com a formalização dos pedidos para uso emergencial de duas vacinas à Anvisa ―desenvolvidas pelos laboratórios AstraZeneca e Sinovac (este em parceria com o Instituto Butantan).

Rio Grande do Norte

O Governo do Estado do Rio Grande do Norte assinou um memorando de entendimento com o Instituto Butantan. O documento é uma espécie de protocolo de intenções para a compra da vacina.

A secretaria estadual da Saúde já anunciou que a logística do Rio Grande do Norte para receber a vacina já está pronta. Mais de 900 mil seringas já foram adquiridas, o que representa mais que o dobro do necessário para a primeira fase. A vacinação do RN acontecerá em três fases, a partir da ordem de prioridades.

No último boletim divulgado pela secretaria estadual da Saúde, foram registradas 3.078 mortes por covid-19 e mais de 122 mil casos confirmados em todo o Estado.

Artigo anteriorPróximo artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *