CULTURA

Palco Virtual do Itaú Cultural tem amor e acessibilidade de grupo potiguar neste fim de semana

Com um elenco formado por artistas com e sem deficiências, o Coletivo CIDA leva amor e acessibilidade ao Palco Virtual do Itaú Cultural. O grupo, que é do Rio Grande do Norte, apresenta a nova versão do espetáculo em dança Maré, que agora conta com audiodescrição e Libras

O espetáculo, criado em 2017 e remontado como uma obra audiovisual, é uma metáfora dançada sobre os vários níveis, intensidades e profundidades do amor.  Com coreografia e direção de René Loui e Rozeane Oliveira, a produção discute os diferentes modos de se relacionar pela perspectiva cinematográfica da dança e problematiza as questões de gênero, raça, alteridade, capacitismo e, ainda, a violência contra a mulher.

A vontade de construir Maré na versão virtual começou em 2020. Fomos aprovados pelo edital Arte como Respiro do Itaú Cultural e apresentamos a versão compartilhada do trabalho. Recebemos tantas devolutivas positivas que passamos a pensar uma nova forma de apresentar essa dança. Construir uma dança sob a perspectiva do audiovisual que, até então, era algo que o Coletivo CIDA não fazia. Foi muito desafiador!”, conta o bailarino René Loui, fundador do coletivo.

Foram cinco dias intensos de muito trabalho nas gravações, e poder estar presente fazendo arte, reunindo os colegas que tanto amo e admiro foi realmente muito especial”, comenta Jania Santos, que é uma das convidadas do espetáculo.

Os ingressos devem ser reservados via Sympla. Mais informações em: www.itaucultural.org.br. Maré fica disponível até 1° de julho, às 17h, no Youtube do Itaú Cultural www.youtube.com/itaucultural. Em agosto o Coletivo Cida realiza a estreia oficial de Maré dentro da programação do Prêmio Festival Funarte Acessibilidança Virtual.

Autonomia com arte

Cida (Coletivo Independente Dependente de Artistas) é um núcleo artístico de dança contemporânea e performance fundado em 2016 por Arthur Moura, René Loui, Rozeane Oliveira e jovens artistas emergentes, negros, com e sem deficiências, oriundos das mais diversas regiões do Brasil e radicados em Natal. A proposta foi de construir um caminho de profissionalização e subsistência através da dança. O coletivo já esteve presente nos palcos de mais de 15 cidades do Rio Grande do Norte, em mais de dez estados brasileiros e se apresentou no Equador, França, Portugal, Suíça e Índia.

SERVIÇO

Palco Virtual – Cênicas

Retirada de ingressos no site do Itaú Cultural: www.itaucultural.org.br

Capacidade: 270 lugares

Dias 25 e 26 de junho (sexta e sábado), às 20h, e dia 27 (domingo), às 19h

Grupo Cida I Foto Brunno Martins

DESFAZENDA

Além de Maré, a programação do Palco Virtual também conta com a peça-filme Desfazenda – me enterrem fora desse lugar, primeiro espetáculo adulto do coletivo teatral paulista, O Bonde. A peça-filme de pessoas pretas que, quando crianças, foram salvas da guerra por um padre branco e vivem numa fazenda, cuidando das tarefas diárias. O padre nunca sai da capela, a guerra nunca atingiu a Fazenda e sempre que os porquês são questionados, o sino soa e tudo volta a ser como antes, ou quase sempre.

O Palco Virtual é realizado de forma gratuita e online de quinta a sábado, às 20h, e no domingo, às 19h, pela plataforma Zoom. Todas as apresentações são seguidas por conversas do público com diretores, elencos e convidados.

 SERVIÇO

DIAS: 25, 26 e 27

Depois das sessões, o grupo participa de conversas com o público:

sexta 25, com Daniel Veiga e Mariana Queen
sábado 26, com Amilton de Azevedo e Luz Ribeiro
domingo 27, com Luh Maza e Ellen Oléria

Para mais informações, CLIQUE AQUI.

 

 

Clique para ajudar a Agência Saiba Mais Clique para ajudar a Agência Saiba Mais
Artigo anteriorPróximo artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *